Seguidores

sábado, 17 de julho de 2021

Fervor das Águas





Fervor das Águas

Não há gesto ou verdade
Que desabite nossos corpos das loucuras
Porque de ti vem esse fogo de bravuras
Ungindo meus seios de ardências
Nas brasas do teu corpo nu.


E nada tem mais sentido
Do que esse fulgor de vastidão
Quando tu descerras carne no meu ventre
Precipitando o fervor das águas
Nas espumas das arenas rendidas
Por tuas lavas viris de sexo e paixão.

Vilma Orzari Piva
Direitos Autorais Reservados

Fervor de las Aguas

No hay gesto o verdad
Que desabite nuestros cuerpos de las locuras
Porque de ti me viene ese fuego de bravuras
Ungiendo mis senos de escozores
En las brasas de tu cuerpo desnudo.

Y nada tiene más sentido
que ese fulgor de vastedad
Cuando tú desciendes carne en mi vientre
Precipitando el fervor de las aguas
En las espumas de las arenas rendidas
Por lavas tuyas viriles de sexo y pasión.

*Tradución Rosa Buk


segunda-feira, 12 de julho de 2021

Silêncio I

 

Silêncio I


É tarde. Não há barulho.
Ninguém. Nenhuma voz.

O dia combalido
Trancou a estrela noturna
No vagão das promessas.

Encadeou a mais bela lua
Na nave silenciosa do teu peito
À espreita do abandono do meu leito.

Insone, bafejou-me cílios absurdos
Estreitando pelos ares suspiros e frestas,
Abraçando-me em liquidez cortante
A madrugada calada sob essa noite indigente...
E paciente.... aguardo-te no ruído da brisa quente....


Vilma Orzari Piva
Direitos Autorais Reservados

quarta-feira, 30 de junho de 2021

Íntimo

 


ÍNTIMO

Há sempre algo remoendo
Nesse ar que respiramos:
Um tanto de ternura e desejo,
Um tanto de perfume e beijo.

É algo que provoca, morde
O coração das palavras
Num tanto de juras e promessas,
Num tanto de carícias sem pressas.

Fica no ar algo implacável
Tão certeiro que não cede,
Nem retrocede esse meu gosto
De ter tua boca plena
Na minha pele morena.

Fica sempre... sempre esse ar
De sentença movendo o tempo
Á espera do fim da tua ausência.

Vilma Orzari Piva
Direitos Autorais Reservados

quinta-feira, 24 de junho de 2021

Tardas Comigo

 


Tardas Comigo

Assim como o tempo abraça as histórias
O amor desejoso rende-se as horas
E prediz que a paixão não vai embora
Se entranhado na pele das memórias.

E me retém em teus lábios alquímicos
Com viços da tua língua na minha boca
[Prazerosa ânsia de sede tão louca]
Provando-me poções de céus místicos.

E viajo em eriçada paixão no teu leito
Na ronda dos cios dos meus segredos
E no calor acariciante do teu peito,

Marcas-me vertigens que a teu jeito
Mergulhas na minha cintura sem medos
E tardas comigo no rio do meu estreito.

Vilma Orzari Piva
Direitos Autorais Reservados

quinta-feira, 17 de junho de 2021

Eu Te Amo



Eu Te Amo
Rondel XXXIX

Ente os beijos de nossas bocas
Ficam doces palavras molhadas
De desejos que me deixam louca,
Aturdida de amor, mergulhada.

E beija-me essa paixão tão louca
Na umidade das línguas misturadas
Entre os beijos de nossas bocas
Ficam doces palavras molhadas.

Embebidas de amor, tão malucas,
Bem debaixo da minha língua, caladas,
Três palavrinhas prontas quase loucas
Salivando-te totalmente capturadas
Entre os beijos de nossas bocas...

[Eu te amo!]


Vilma Orzari Piva
Direitos Autorais Reservados

domingo, 13 de junho de 2021

Folclore /Festas Juninas: Santo Antônio, São João e São Pedro




Três santos padroeiros
Da quadrilha ao quentão
Abençoam o sanfoneiro
A fogueira e o nosso chão.


Santo Antonio 
 13 de Junho

Santo Antonio casamenteiro
Sofre com tantos pedidos
Ficando de cabeça para baixo
Na promessa de arrumar marido.

E para arrumar namorado
É só pedir pra Santo Antônio
Dar uma força feito soldado:
Do amor ao matrimônio!

Santo Antonio padroeiro
Com Jesus em seus braços
Proteje soldados e comerciantes
Aclamado em rezas e terços!



São João 
24 de Junho

Às margens do rio Jordão
Ele já pregava a palavra
Nosso querido São João
Santo padroeiro e da boa lavra.

São João é o santo festeiro
Do arriá na comemoração
Fica no céu com olhar de arteiro
De pular fogueira e tomar quentão.


São Pedro 
29 de Junho

São Pedro é quem  faz chover
Quando  despenca o aguaceiro
Ele  lava o céu , pode crer
No barulhão do padroeiro!

Protetor dos pescadores
E nomeado chaveiro do céu,
É ele quem abre as portas
Pra gente não ficar ao léu.


Vilma Orzari Piva
Direitos Autorais Reservados


quinta-feira, 10 de junho de 2021

Somos Pássaros

 



Somos Pássaros

Somos pássaros em poesias,
Viajantes no tempo e espaço,
Entre mil vôos em coreografias
Aninhamos palavras sob um traço.

Somos sonhos alados em instantes
Alçados pelas horas de amor ou de reverso,
De toda expressão de perto ou distante,
Do mundo das palavras num verso.

Somos vôos de asas livres
Cortando o céu azul de infinidades,
Somos rimas luminosas de fulgores
Nas letras dos poemas em saciedades.

Vilma Orzari Piva
Direitos Autorais Reservados

domingo, 6 de junho de 2021

Aurora

Obra / Monika Luniak

Aurora

Brilha a luz na minha janela
Anunciando um novo dia,
Manhã iluminada que irradia
Luz da aurora, grã sentinela!

Vilma Orzari Piva
Direitos Autorais Reservados

domingo, 30 de maio de 2021

Almas Gêmeas



Almas Gêmeas

A cadência da chuva naquela tarde
Incessantemente morna de amor
Pôs minha alma triste em alarde 
Por um sonho que era um primor.

Havia nele o marulhar de um beijo
O tamborilar das mãos em poesia
Um céu descoberto de amor e desejo
E o torrencial da paixão em sintonia.

Assim, eu vi a saudade do que fomos:
Da pura ardência à triste face molhada
Que insistiu me dizer que ainda somos

A estória da alma gêmea conspirada,
A melancolia de um sonho que transpomos
No tempo, aguardando a vida sonhada!

Vilma Orzari Piva
Direitos Autorais Reservados

domingo, 23 de maio de 2021

Olhos de Encantos



Da Trova à Poesia

" Ó esses olhos de encantos
atrás das lentes escuras
são dois lagos de espantos
refletindo poesias puras."

Vilma Orzari Piva

Olhos de Encantos


Ó esses olhos de encantos
Atrás das lentes escuras
São dois lagos de espantos
Refletindo poesias puras.

Olhos que dizem de onde vens
Teus belos piscares sonhadores,
Pois são do amor eternos reféns
E da paixão conspiradores.

São olhos de luzes e força vivaz
Alteando ondas em movimentos,
Entre claro e escuro tão sagaz
Vislumbrando barcos de pensamentos!


Vilma Orzari Piva
Direitos Autorais Reservados