Marcadores

Seguidores

quinta-feira, 2 de junho de 2011

Canto à Solidão - Soneto Montenegrino


 
CANTO À SOLIDÃO 
*Soneto Montenegrino

O canto da solidão é um suspiro alado,
É um fado ao coração pulsante na batida
Dessa vida, na contramão dos sonhos em vagares,
Sem pares, na direção do eu porto solitário.

Visionário que sobre cantantes pergaminhos
Faz caminhos e descobre no suspirar da flauta
Nauta, a música nobre, melodia companheira,
Estradeira que o cobre harmônico em seus dias.

Rege nostalgias de amor, paixão, dor e saudade,
Tece poesias na cor do som que aquece a palma
E n'alma melodias d'alvor plasmado sem fim.

E em mim faz um lamento triste, desafinado,
Calado pensamento no amargo gosto do fel
De ser um tropel ao vento na voz do desencanto.

Vilma Piva
Direitos Autorais Reservados ®

*A técnica do "Soneto Montenegrino" é criação do Poeta Jorge Montenegro.
"O Soneto Montenegrino é uma criação baseada nos preceitos do Soneto, mas com algumas diferenças fundamentais. Minha intenção foi conceber um poema mais amplo estruturalmente e mais melodioso, mais rico musicalmente, sugerindo uma composição onde até 18 pares de sílabas homofônicas contribuem para uma maior densidade fonética. O Soneto Montenegrino pode ser: Distinto (com rimas repetidas) ou Precioso (com 18 rimas diferentes).

1- O Soneto Montenegrino tem 14 versos divididos em quatro estrofes, da seguinte forma: 2 estrofes de 4 versos e 2 estrofes de 3 versos.

2- Os Versos Montenegrinos têm 14 sílabas fonéticas (ou sílabas poéticas).

3- A cesura nos versos ocorre sempre na sétima sílaba tônica fonética, dividindo o verso em dois hemistíquios iguais de 7 sílabas fonéticas cada um.

4- A sílaba tônica do primeiro hemistíquio (7ª sílaba fonética) que determina a cesura pode pertencer a uma palavra oxítona ou paroxítona. Sendo paroxítona, a sílaba seguinte à sílaba tônica deve necessariamente fazer elisão com a primeira sílaba da próxima palavra.

5- A sílaba tônica do segundo hemistíquio (14ª sílaba fonética) pode pertencer a uma palavra oxítona, paroxítona ou proparoxítona.

6- O esquema rimático se dá de duas formas distintas:

a. Em rimas diagonais nos quartetos e nos tercetos, onde a última palavra do primeiro verso rima com a primeira palavra do verso seguinte (se for um verbo, advérbio, substantivo ou adjetivo) ou com segunda palavra (se a primeira palavra tiver sido um artigo, pronome ou preposição) do verso seguinte, e assim sucessivamente em todos os 14 versos. No total, as rimas diagonais do Soneto Montenegrino perfazem 14 homofonias, sendo 13 nos versos em diagonais subseqüentes e mais uma rima entre a primeira palavra do primeiro verso e a última palavra do último verso.

b. Em rimas internas na palavra do primeiro hemistíquio que determina a cesura de cada verso. O esquema rimático das estrofes é: aaaa / bbbb nos quartetos e ccc / ddd nos tercetos. Cada quarteto e cada terceto tem apenas uma rima interna. No total, as rimas internas do soneto perfazem 4 homofonias: 2 nos quartetos e 2 nos tercetos."

SOLITUDE

Toda vez que vejo a flor desfilando num jardim,
para mim, um sofredor, se enleva o sentimento
num momento de fervor em que avisto a esperança,
na pujança dessa dor, minha triste solitude.

Plenitude da paixão que tortura o meu dia,
agonia da canção que ressoa pelos ares
nos olhares da visão de um pássaro perdido,
iludido pela mão que o pôs em liberdade.

A saudade é atroz, pois revolve minha alma,
minha calma e a foz onde nasce meu sofrer
do doer de onde nós apartamos nossas vidas.

As feridas que não quis fazem festa no meu ninho,
meu cadinho chamariz de um sofrer tão infinito,
um proscrito infeliz que hoje abrasa a minha tez.

Jorge Montenegro
Direitos Autorais Reservados ®

Um comentário:

  1. Estima poeta navegar em sua página como sempre é fazer escola, sempre me ausento daqui com mais inspirações. Sinto falta de sua presença em meus textos seus comentários muito me honram. Parabéns e um bom domingo. S/M.

    ResponderExcluir

Obrigada pelo carinho da sua leitura!
Deixe seu comentário, ele é muito importante!