Marcadores

Seguidores

segunda-feira, 29 de abril de 2013

Lua Cheia




Bela lua alta,
fez do dia azul clarinho
a sua ribalta !

*
Lua cheia é poesia,
transbordante, mágica,
no céu do meu dia!

*
Ainda acordada
a branca lua menina
ao sol da maré cheia,

*

Vilma Piva
Direitos Autorais Reservados ®

quinta-feira, 25 de abril de 2013

Uni-verso



UNI-VERSO

O céu em brilhos estelares
deixou mostra da textura do teu sol
sobre minha trilha anoitecida.

Silenciosamente,
formaram-se atalhos
que dos meus olhos
rasgaram –se sorrisos
na boca do medo
e dos rubores.

E um tanto comovida
por esse naco de luz,
vi o ventre da terra
parindo-me pretensa matiz
no brilho de teu sol.

E preparei os meus lábios
em beijos de úmido cintilar,
entre céus e terras
por todo teu semblante
invasor e uni-verso.

Vilma Piva
Direitos Autorais Reservados ®

segunda-feira, 22 de abril de 2013

Delírio





DELÍRIO

Teu perfume atrai doces gemidos
Esquecidos que o mundo lá fora
Rondam nossas bocas de abismos
Impregnando meus seios de suspiros
No teu peito delirante de abrigos.

Tal flor que perfumada é alimento
No fruto dos teus lábios de perigos
Florescendo-me fortes vozes da libido
Em prenúncios rubros de amor proibido
Gravitando-me punhos em vestígios

Delirantes nas barras dos meus vestidos,
Desabotoados, estendidos no teu chão,
Loucos de amores tecendo-nos de paixão!



Vilma Piva
Direitos Autorais Reservados ®

quarta-feira, 17 de abril de 2013

Plataforma






PLATAFORMA

Na palidez
da fuligem dos dias
o pó
que nem toda limpidez
desvia
tece o tempo no olhar 
daqueles que se lavram a sós...




Vilma Piva
Direitos Autorais Reservados ®

terça-feira, 9 de abril de 2013

Lua de Rapel



LUA DE RAPEL

O´ Lua !
Energizante feiticeira,
ensina-me a viver
por entre nuvens
brincando de rapel.

Quero escalar teu rosto,
refletir brilhos da tua luz.
Corar minha palidez
como se eu fosse de papel
ao colorir tuas fases
em meus rabiscos
e fazer dos meus vãos espaços
o céu do teu puro amor!

Vilma Piva
Direitos Autorais Reservados ®

quinta-feira, 4 de abril de 2013

Corpo do Desejo


CORPO DO DESEJO

Ainda que seja eu a brisa comovida
Que treme flutuante ao sopro do vento,
Envolvo-me de teu corpo  sem medida,
Enlaçada ao teu esvoaçante pensamento.

Sopras em mim a canção mais emotiva
Em gesto que seduz  meu louco intento
De sonhar meu corpo igual ao que te cativa
Na carne do desejo que por ti eu acalento.

Um pouco a cada dia tu virás a meu contento
Deixar-se em minha boca em umidade ativa
Trazendo teu peito nu ao delito e esquecimento

De não ser apenas sonho num corpo à deriva
Mas sim a sedução conspirada que num rebento
Faz brotar arrepios na minha pele sensitiva.


Vilma Piva
Direitos Autorais Reservados ®