Marcadores

Seguidores

domingo, 31 de julho de 2011

Sobre Imagens Poéticas



Assim são as imagens poéticas:

Elas têm o poder de ir lá no fundo da alma

onde moram os esquecimentos

e quando um desses esquecimentos acorda,

a gente sente uma estremeção no corpo.

Essa é a missão da poesia:

Recuperar os pedaços perdidos de nós!

 
Rubem Alves
Direitos Autorais Reservados ®

sábado, 30 de julho de 2011

Lua Bailarina


LUA BAILARINA

Clara lua! Bailarina anunciada
À luz da alegria no horizonte
A brilhar em teus olhos e defronte
Do meu corpo coberto a bailar.

Na voz e música do céu ao luar,
Gira na clara lua nosso bailado,
Entre estrelas nosso gingado
De corpos em luzes a nos inebriar.

Sonhadores dançantes da magia,
Do balé movente em nosso olhar,
No fundo cristalino dessa travessia

Deslizamos do céu ao chão do luar
Entrelaçados da eterna sinfonia:
- Dois corações ao ritmo do amar.

Vilma Piva
Direitos Autorais Reservados ®

terça-feira, 26 de julho de 2011

Quando você me abraça



QUANDO VOCÊ ME ABRAÇA

Quando você me abraça,
encosto o meu corpo no teu corpo!
Encosto o meu coração no teu coração,
sinto o que nos envolve é sublime, é eterno!

Quando você me abraça,
sinto a doçura do amor e o fogo da paixão!
Meus olhos brilham, sorriem para os teus
na certeza de que para o amor há porto seguro!

Quando você me abraça,
transborda o mar do teu peito para meu mundo!
O céu prenuncia o gozo das chuvas e das aragens
e a natureza entra em cios trazendo-me voragens!


Vilma Piva
Direitos Autorais Reservados ®

sexta-feira, 22 de julho de 2011

Sou de Lua


SOU DE LUA

*
Tão louca por ti
sou crescente quando vens
-Cresço, floresço.

*


*
Sou louca por ti
inteiramente plena.
-Sou tua lua nova.

*


*
Tão louca por ti,
Quando não vens, me diluo...
- Minguante no céu.

*
Vilma Piva
Direitos Autorais Reservados ®

terça-feira, 19 de julho de 2011

Na Paz Do Teu Amor


NA PAZ DO TEU AMOR

A noite passa por nós docemente
Fitando teu olhar que mirava em mim
A paz lânguida do meu corpo inocente
Depois do amor no teu corpo querubim.

E eu dormia em teus braços, enlaçada
De um amor sem igual, no amor da gente,
Sonhando teus passos na minha calçada
Entregue à paixão de te ter novamente,

Ao raiar da manhã, deixando o sol entrar,
No brilho dos meus olhos frente aos teus,
Sem poder ocultar minha fome de amar

Pratos de pecados teus, junto aos meus
Afogueados rubores a te chamar:
- Meu homem eleito, amor dos seios meus!

Vilma Piva
Direitos Autorais Reservados ®

sexta-feira, 15 de julho de 2011

Delícias dos Instantes


DELÍCIAS DOS INSTANTES

Aos ventos murmurantes debrucei
meu amor, aos teus braços de aconchegos,
da minha boca os beijos que te dei,
abraçada ao teu corpo de chamegos!

Delicias que ditaram meus momentos
ao nos restar romances sem resguardos,
embalados na vaga voz dos ventos
que varreram as vozes dos pecados.

Volto a te amar deliciosamente,
acampada no corpo de nós dois,
no leito lasso do amor da gente!

Enquanto amamos lesto e lentamente,
vamos vivendo a vida sem depois,
vamos vivendo instantes, simplesmente!

Vilma Piva
e
Odir Milanez da Cunha
Direitos Autorais Reservados ®

terça-feira, 12 de julho de 2011

Improviso




IMPROVISO

Quando a noite sorri
Nos acesos olhos da lua
Conspira à minha revelia
A luz dessa supremacia
E faz-se o riso da minha rua.

Brincante, vem nos meus lábios
Enfeitar a solidão de risos,
Risos esquecidos das horas
Sem tempo de ir embora
Nesse duro chão que eu piso.

Sorri em minha boca
Amigos e paragens,
O luar, o piano e violão
O amor em noturna visão
E o riso do poeta em miragens.

E sorrimos em rimas,
Arrimos de sorrisos
Que sorriem num chiste
Por saber que o riso existe
Sorrindo risos de improvisos.

Vilma Piva
Direitos Autorais Reservados ®

domingo, 10 de julho de 2011

Esperança



 
ESPERANÇA

Sabe o amor qual é a rota
E a paixão sabe do desejo,
Sabe o coração o que brota
Na esperança de um ensejo.

 
Vilma Piva
Direitos Autorais Reservados ®

terça-feira, 5 de julho de 2011

Quero Teu Beijo


QUERO TEU BEIJO

Quero teu beijo de calcar sorrisos
Nas marcas d água da minha boca,
Nele, afogar-me quase sem juízo
Na vontade de ter essa alegria louca.

Quero de volta nosso mundo girar,
Entre lábios nômades do desejo,
Beijar-te, roubar-te o riso de arrepiar
Céus misturados do mesmo ensejo.

Levitar em tua boca o meu batom,
Derreter em tua língua a vivacidade
Ao saborear-te colado nesse tom

De aviso, na face da ansiedade,
Rubra, marcada no tempo em teu dom
De me fazer sorrir felicidade.

Vilma Piva
Direitos Autorais Reservados ®


domingo, 3 de julho de 2011

Amor Latente


AMOR LATENTE

Duas vidas num só destino vivente
É presente dos céus nos caminhos,
Ungidos por favos de carinhos
São sentidos do amor latente.

O tempo não tolhe, nem desbota
O roçar das mãos, o olhar e o beijo,
Nem a ternura de um desejo
Pois o amor amado sempre brota:

De um gesto brando em canduras,
Num bilhete, num mimo no portão,
Numa rosa de pétalas puras.

No murmurar do amor em doçuras,
Na leveza dos corpos na paixão
E no fértil beijo das semeaduras.

Vilma Piva
Direitos Autorais Reservados ®