Marcadores

Seguidores

quinta-feira, 6 de abril de 2017

Efêmera Rosa





Efêmera Rosa

Vejo-te tão bela, efêmera rosa,
No langor do colo meu.

Vejo-te viva nutrindo sedas
No abandono do rosto meu.

Quanta seiva no frágil corte
Espelhando o viço do apogeu.

Quanta maciez em tuas pétalas
Enfeitando recantos e céus...

Dás –me, então, efêmera rosa,
A beleza do vigor que escondes,

O calor daquele meu rosto breve
E a essência da mão que a colheu.

Vilma Orzari Piva
Direitos Autorais Reservados ®



2 comentários:

  1. Olá Vilma.
    O seu poema, "Efêmera rosa" é sensível e de grande beleza. Parabéns.
    Um bom final de domingo.
    Um abraço, Pedro.

    ResponderExcluir
  2. Olá Pedro, obrigada pelo carinho da visita e comentário. Desejo a você uma ótima semana! Bjs

    ResponderExcluir

Obrigada pelo carinho da sua leitura!
Deixe seu comentário, ele é muito importante!