Marcadores

Seguidores

segunda-feira, 30 de abril de 2012

Águas Chuvosas


ÁGUAS CHUVOSAS

A chuva traz a sensação de rio
Ao escorrer em bicas do beiral,
Molhando a parade pintada a cal
E aos cântaros chove na noite fria.

Pouco à pouco a rua empedrada
Torna-se um leito branco de rumores
Alagando passeios, corredores
D´agua lavando toda calçada.

E noite afora, atrás das paredes,
Os amantes dormem abraçados
Em deleites de amor a “tempestar”

A noite quente em águas de sedes,
No frio e no calor das chuvaradas,
Sob cobertores molhados de amar!

Vilma Piva
Direitos Autorais Reservados ®
 

segunda-feira, 23 de abril de 2012

Alento da Luz


ALENTO DA LUZ

Sumiu na boca dos nossos instantes
O tempo agônico das pálidas esperas
Bordadas com lágrimas das quimeras
Que choravam o adeus dos amantes.

E evadiu-se calado o soluço da dor
Tombando o pranto d´alma no coração
Quando o sol se fez luz na escuridão
Ao eclodir o dia revigorado de amor.

Levantaram-se olhos no alento das cores,
Amainaram o sofrer pelas frestas do nada,
Invadiram mãos na terra molhada


Plantando sentimentos e clamores
Na essência da nossa pele perfumada,
Gerando-se a luz na manhã apaixonada.


Vilma Piva
Direitos Autorais Reservados®

quinta-feira, 19 de abril de 2012

Dia do Índio - Haicais



Arco e flecha
Apontados para caça,
Disparo certo!



Curumin no rio
Brinca na água doce
Da sua infância.



A natureza
Vê na cara pintada
A sua defesa !




Canta e dança
O índio na floresta.
Tem pajelança!




 O branco sabe
Que a cultura do índio
Prevalecerá!

 
Vilma Piva
Direitos Autorais Reservados ®

domingo, 15 de abril de 2012

Lua de Outono



LUA DE OUTONO


Quando vem a noite me encontrar
Por entre lembranças debruçadas
Na janela, a lua cisma o cintilar
Do amor entre bocas apaixonadas.

Sussurra-me que viver em teu amor
É tudo que eu mais desejo, sonho,
Para amar-te bem mais abrasador
Em meu calmo olhar quase risonho.

Recordo de teus olhos espertos
E do teu peito de imensa onda
Na noite dos meus olhos abertos
Em nosso amor que hoje me ronda.

E brilha o outono que me corta
Pactuada com tua voz em degredo
Na margem da febre que recorta
Meu amor por ti em feliz segredo.


Vilma Piva
Direitos Autorais Reservados ®

quarta-feira, 11 de abril de 2012

Dádivas de Encantos



DÁDIVAS DE ENCANTOS

De repente o céu se abriu ao alvorecer
Unindo as manhãs de nossos sonhos,
Despertando a sede em nossos carinhos
E a fome das nossas bocas ao anoitecer.

Enleada nas dádivas de teus encantos
Deslizam gotas nos meus lábios de avelã,
Salivas roubadas da tua boca de hortelã,
A beber-te sonho na luz do meu pranto.

Percorro-te em beijos reais na tua face
E entre meus cabelos uma pérola nasce,
Úmida conta em tuas mãos de tesouros

A desvendar-me arcas de suores,  preces,
No manto da flor da pele tu transpareces:
Rei das águas!  Meu barco singradouro!

Vilma Piva
Direitos Autorais Reservados ®

sábado, 7 de abril de 2012

Voar


VOAR


Arrisque-se. Voe!

Só depende de você.

Exercite o novo!


Vilma Piva
Direitos Autorais Reservados ®

terça-feira, 3 de abril de 2012

Bocas de Pastoreios


BOCAS DE PASTOREIOS

Meu beijo a cada instante sonha
Em tua língua campos de pastoreios,
E minha boca bebe entremeios
Do sal que tua saliva enfronha.

Vens numa gota ativa, divinal,
Adentrar-me os poros em noites
Que cortejo tua boca de açoites,
Sagrando-te cálice sideral.

Debaixo das nossas linguas amantes
Meus lábios suspiram em teu sabor
Sorvendo-te meu licor uni-verso,

Boca à boca, horas cintilantes,
Louca, encantada por tanto amor
Entregue ao teu peito reverso.

Vilma Piva
Direitos Autorais Reservados ®