Marcadores

Seguidores

domingo, 30 de outubro de 2011

Mago do Amor


MAGO DO AMOR

Deixarei que as estrelas cadentes
Acendam vultos de luzes no céu
Enquanto nosso faiscante arpéu
Acende o rastilho dos penitentes.

Num sopro airoso, morno de brisas
Destinados às ardências da paixão,
Resfoguelados ventre e coração
Em ardumes de luminas castiças.

Onde recompor é morrer de amor
Na lareira das tuas mãos de desejos
Movendo-te brasa, mago do ardor,

Incandescente na minha boca de calor
Enfeitiçante, corpo a corpo aos beijos
Mantendo-me a fogueira do nosso amor.

Vilma Piva
Direitos Autorais Reservados ®

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

Missais dos Instantes


MISSAIS DOS INSTANTES

Somos nós os missais dos instantes
A repartir o pão do amor a cada dia
Em tardes de asas no corpo da poesia
E na noite enluarada dos amantes.

Somos nós, bocas de pastoreios,
Cingidos pela prece da paixão
Em vitrais de cores e consagração,
Incensados por cálices de anseios.

Somos nós, tu e eu bem aventurados,
Com lágrimas no rosto, estamos em nós,
A perguntar porque o golpe do amor

Nos oferece a patena do sonhador
Num beijo que nos abrasa a voz
E que nos faz feliz sem saber da dor...

Vilma Piva
Direitos Autorais Reservados ®

domingo, 23 de outubro de 2011

Cativa de Órion



CATIVA DE ÓRION

Guardo-te comigo, assim, sozinha,
Sonhando-te pela imensidão a luzir
Teus olhos estelares no céu a cingir
Piscares de solidão à estrela minha.

Rútilo céu em teu peito constelado
Irradiado no centro de minha alma
Fixa na noite lenta da minha calma
A querer-te reluzente Órion estrelado.

Em íntimas íris na sintonia dos olhares
Presos à hipnose que cintilas, transluz
O sidério em nossas pálpebras comovidas,

Espargindo lúminas dos nossos corações
Prisioneiros da luz que prende e conduz
Ao sonho revelado: Sou tua estrela cativa!

Vilma Piva
Direitos Autorais Reservados ®

quarta-feira, 19 de outubro de 2011

Púrpuro Movimento


PÚRPURO MOVIMENTO


A visão para além do grito esculpido
Beija-nos entre o azul e o escarlate
Pleno de amor unido que se reparte
Em hóstias de rituais de puro sentido.

Bendigo e rendo-me ao teu punhal de vento
Ombreando a via láctea das asas urdidas
Nas tramas das fitas que voam iludidas
Em teus braços estelares de firmamentos.

E contigo sobe a lua rubra sobre o acetinado
A espelhar-me cintilante no teu colo de afagos,
Contrita, a desenrolar meus novelos devotados

Ao púrpuro movimento da paixão em afagos 
Que fazem de ti - meu homem consagrado,
Amado por meu coração, e eu em ti me alago.


Vilma Piva
Direitos Autorais Reservados ®

domingo, 16 de outubro de 2011

Asas de Luzes


ASAS DE LUZES

Nas asas da tua luz
Meu vôo é liberto
Das pedras do caminho.


Retiras os medos, as dores
E elevas-me aos céus
De pratas enluaradas
Suavizando minhas noites
Em beirais enamorados.


Lado à lado, aninhados, cativos,
Somos asas, somos pássaros,
Trinando pela imensidão

O duo alado de nossos corações
Azulados de amor,
Que num pio de silencio
faz cantar um mundo de carícias
em viagens de paixão.


Vilma Piva
Direitos Autorais Reservados ®

quarta-feira, 12 de outubro de 2011

Mar da Noite


MAR DA NOITE
 
Em branco e preto prometi ao soneto
Fiar meus escuros cabelos dormidos
À clara luz esperançada dos aguerridos:
Ser pano de fundo do nosso amor dileto.

E em tua boca, vivente voz do meu elixir,
Navega meu barco de paixão e calmarias,
Traz o leme do meu corpo em maresias,
Ondeias versos, avolumando meu sorrir.

Ardes-me de amor porque tu és sonoro,
Mar da noite e claridade de cativos dias,
O porto das tardes ao sol dos meridianos.

Horizonte vivo do amor que em ti decoro,
O propósito dos meus lábios em poesias,
Nau do meu verso até o fim dos oceanos.
 
Vilma Piva
Direitos Autorais Reservados ®

domingo, 9 de outubro de 2011

Pudera ser Agora


PUDERA SER AGORA

Pudera ser agora o que virá amanhã
Junto do primeiro rosado d´ aurora,
Raiar meu corpo no teu sem demora,
Em claves de sol na tua flauta de afã.

Amar-te no éden da minha boca cortesã
Ao som gutural de teu instinto animal!
Deus Pã ! Jugular do teu corpo pontual
Pondo em meus lábios o gosto da romã.

E quero-te bem mais que esse agora breve.
Quero-te amanhã, dias, noites e a toda hora
Nascente e remanso, música que devora

O prazer de te amar num tempo que se atreve
Medrar esperas sem nos deixar ir embora
Calcando-nos de amor que não evapora.

Vilma Piva
Direitos Autorais Reservados ®

sábado, 8 de outubro de 2011

10.000 Visitantes


10.000 VISITANTES

Meu agradecimento e homenagem a todos os leitores do Blog, pois superamos a marca de 10.000 acessos/visitantes, nesse primeiro ano de existência. Eu não imaginava que seria possível alcançar essa marca, pois sou iniciante, aprendendo e percorrendo passo à passo os caminhos da mágica blogsfera.

Sinto-me motivada, feliz por compartilhar das minhas poesias com visitantes interessados, sensíveis leitores, amigos, companheiros que através de seus comentários muito me emocionam.

Meu muito obrigado aos queridos visitantes, amigos, leitores que aqui deixaram suas pegadas. Agora é seguir rumo aos 100.000!!

Prá todos vocês a beleza e o perfume das rosas com o todo meu carinho dessa minha feliz primavera !


Vilma Piva
Direitos Autorais Reservados ®

sexta-feira, 7 de outubro de 2011

Voz do Poeta


VOZ DO POETA

Paciente é a voz do poeta
Exalando o pulsar contínuo
De um secreto conluio
De hálitos mordentes.

Lavra de força ardente
Concebendo-se à prova
Do estigma insano do peito.

Poeta, mortal fazedor de sumos
Pertencido ao pórtico berço
Das cordas ao vento.
A voz dos cantares
 das infinitudes...

Vilma Piva
Direitos Autorais Reservados ®

terça-feira, 4 de outubro de 2011

Flagrante V - Travessia


FLAGRANTE  V
- Travessia -

Já não conto mais os dias
Que feliz eu me vi chorar
Por um verso de poesia
Encantada de teu (a)mar.

Pois soube o tempo contar
Os dias que já não conto
Pressentida de teu amar:
Universo e contraponto.

E nessa espera virá a hora
Que nos teus dedos contei
Manhãs de minha aurora.
O´Poeta! Quanto o sonhei!

Vilma Piva
Direitos Autorais Reservados ®

sábado, 1 de outubro de 2011

Leque dos meus dias


LEQUE DOS MEUS DIAS

As manhãs dos meus dias me levantam
Para ensinar, ouvir, executar, projetar
Sorrisos de arco-íris para um lugar
Ensolarado de cores que se misturam.

A cada dia é viver e crer no incluir
O diferente, dentre tantos semelhantes
Que iguais ou desiguais pensantes
Caminham rotas para se compartir.

E o amor, a ternura, causa e esperança
Movimentam o leque dos meus dias
Abafando as pálpebras das fantasias.

E anoiteço no cansaço tal criança
Agradecida por essas tantas alegrias
Iguais as noites em que me vejo em poesias.

Vilma Piva
Direitos Autorais Reservados ®