Marcadores

Seguidores

domingo, 29 de agosto de 2010

Regresso


REGRESSO

Meu amor no mar se perdeu
Entre borrascas de mau tempo
Velejando horas escuras no breu
Singrando rotas à contratempo.

Enfrentou os ventos e as marés
Sob fortes chuvas em alto mar
Levando consigo tesouros de fé,
Nas arcas esperanças a sonhar.

E resistiu bravamente as tempestades
Do medo, da solidão, da ira desconexa
Superando a própria fragilidade
Quando a bonança se fez amplexo.

Da prece ao porto, âncora do amar,
Regressa o barco às águas tranqüilas
Sonhando-te na proa a navegar
 Mar do meu amor em tuas pupilas.


Vilma Piva
Direitos Autorais Reservados®

sábado, 28 de agosto de 2010

Clamor aos Céus


CLAMOR AOS CÉUS

Amor... perceba as manhãs.
Olhe a luminosidade com que os raios de sol clareia a vida dos amantes apagando faíscas de desencantos, acendendo quentes murmúrios apaixonantes...

...É assim que o amo em cada amanhecer: buscando os dias em suas mãos, roçando sua pele, conferindo nas pontas dos meus dedos o seu rosto, seus olhos, seus lábios, que umedeço na esperança de lhe ver.

Perceba a tarde...
Sinta o mormaço que envolve os pares trazendo a chuva de verão que molha a pele e alivia temperaturas dos corpos apaixonados, acalmando as trovoadas do amor que desfolha...

...É assim que o amo em cada entardecer: aquecendo meus olhos em você num doce balanço da rede, à sombra de uma ilusão desmedida, guardando-me lascivamente neste sonho em que dormi.

Amor, perceba a noite...
Entenda o céu escuro que realiza os desejos acariciando os amores perfeitos, aumentando os segredos, revelando as verdades, cintilando nos olhos daqueles que já estão refeitos...

...É assim que o amo a cada anoitecer, indo ao seu encontro, perfumando-me de você, abrindo meu coração na volúpia do meu ser entregando-me por inteira....

Será que agora me vê?

Vilma Piva
Direitos Autorais Reservados®

quarta-feira, 25 de agosto de 2010

Amizade




AMIZADE

Amigos são aqueles que fazem
do laço da amizade uma história
prá se contar ou rememorar,
e não há ventos que os levem
nem distâncias que os separem.


Vilma Piva
Direitos Autorais Reservados®

segunda-feira, 23 de agosto de 2010

Pensando com a vida



"Todo caminho da gente é resvaloso.
Mas também cair não prejudica demais.
A gente levanta, a gente sobe, a gente volta.
O correr da vida embrulha tudo, afrouxa,
sossega e depois desinquieta.
O que ela quer da gente é coragem."


João Guimarães Rosa
Direitos Autorais Reservados® 

domingo, 22 de agosto de 2010

O Homem e o Poeta

Imagem by Paulo Madeira

O HOMEM E O POETA
O homem trava sua íntima luta convencido do real sobre tudo o que se tem provado, desmistificado há séculos e o que se vem desvendando sobre o universo, sobre o movimento da terra, sobre as rotas dos cometas e dos foscos estilhaços que vagam pela estratosfera. Sabe da composição cósmica, dos satélites, das estrelas, da velocidade da luz, do chão lunar, da explosão nuclear, das experiências siderais, no entanto nada disso o satisfaz, não o completa, não o preenche. Ele tem dentro de si um inquisidor, um observador, um descobridor nato sob o prisma de seu olhar....E a razão argumenta a cada vez que os olhos do homem se erguem para contemplar o céu....

Ele reconhece que tudo está como sempre esteve no universo, silenciosamente confirmados entre as constelações e os planetas, entre o dia e a noite, entre as estrelas e os cometas.
Mas o homem insiste e se projeta em sua busca. Estende seu olhar, adentra o cosmo, e num piscar de olhos vê-se flutuar movido pela força da galáxia de seu coração....
Descobre-se em combustão, desprendido da razão ele paira sobre o universo, tal qual um grão de poeira cósmica admirando novas formas do caleidoscópio celeste e na sua retina tudo gira num mosaico de vertigens.

É um momento mágico, telúrico, deparado-se o homem com o poeta.
E ampliam-se ecos de risos e lágrimas, painéis de claridades e névoas emoldurando-se de grandiosidades....Sutilezas que só os seus olhos conhecem e os desvendam para o mundo.
Conversa com as estrelas, decifra partituras do silencio e sorri iluminado para o sol ao distinguir luzes no altar da lua..... Ele respira vidas pela imensidão..... Identifica-se. Vê mil olhos que brilham, mãos que chamam, lábios que convidam horas canônicas pelo orbe e encontra-se no trafego das próprias mãos e não mais se detém. Ele escreve.

Entrega-se ao ofício de poeta e deixa-se sonhar com a luz no final do túnel, no qual misteriosamente ele transcende e não há argumentos que o convença a não contar, desvendar ou ouvir estrelas...
Sobrepõe-se à sua razão o sensitivo de sua alma e coração, a emoção do seu olhar abduzido pela galáxia pulsante de seus sonhos e crenças de fé na plenitude dos alcances da sua inspiração.

 

Vilma Piva
Direitos Autorais Reservados®

Vento


VENTO

O vento em mim
me dá asas de querubim
tira meus pés do chão.
Vilma Piva
Direitos Autorais Reservados®

segunda-feira, 16 de agosto de 2010

Ave Azul


AVE AZUL

Voei mais longe, viajei alturas,
Soltei-me no ar, vislumbrei o mar.
Plainei sobre as águas a te espelhar
Ave azul em asas de procuras.

Num vôo solitário de gaivota eternal
Encontrei-te alado ao sol e ao vento
No secreto olhar de um pensamento,
Eu e você, rumando ao infinito sideral.

E misteriosamente, contigo ouvi
Os rochedos falarem com as águas
Os peixes nadarem as espáduas
E as ondas revelando o que senti:

Nas nuvens do teu rosto, meu gosto.
Nas asas dos teus braços, meus laços.
Nas penas dos teus passos, meus traços
E no pouso da tua mão, meu coração exposto!

Vilma Piva
Direitos Autorais Reservados®

quinta-feira, 12 de agosto de 2010

À Luz da Aurora


À LUZ DA AURORA

Era vermelha a esfera da manhã
Espreguiçando o dia manhoso
Na tentativa de abrir os olhos
Para o esplendor do sol radioso.

Feito de um amanhecer contente
Trazendo ares de brisas acordadas,
Ninhos e chilreios da passarada
Voejando sobre um ar diferente.

Era um tanto de sol à sentinela
Anunciando o perfume do dia
Em feixes de aromas, buquês,
Carícias de rosas na minha janela.

Feito tuas mãos ao me acordar
Num toque sereno de surpresa
A me sussurrar à luz da aurora:
Bom dia, amor, volte a sonhar!

Vilma Piva
Direitos Autorais Reservados®