Marcadores

Seguidores

terça-feira, 21 de junho de 2016

No Limiar do Inverno






NO LIMIAR DO INVERNO

Não mais importa o vento do outono
Nutrindo folhas já amareladas,
Tão pouco as vozes das madrugadas
Querendo sonhos de abandonos.

Eis que a luz insurge das centelhas
Tremulando a calidez do sereno
Sobre as casas de sol ameno,
Às portas do inverno, sob as telhas.

E deixo o sol entrar batendo na soleira
Dessa minha textura de lareira
Ardendo mantas de aconchegos,

Entre paredes, em panos de fundo
No aceso da órbita do meu mundo
Sonho-te acalorado em meus chamegos.

Vilma Piva
Direitos Autorais Reservados ®

domingo, 12 de junho de 2016

Vestigio de um sorriso


Agradeço a amiga Mi Luch 
pelo carinho na ilustração ao meu poema!
Obrigada querida !!!







terça-feira, 10 de maio de 2016

Mãe





Mãe é zelo e carinho
Que toda hora se tem.
É um anjo no caminho
Que do amor é refém!


Vilma Piva
Direitos Autorais Reservados®

quinta-feira, 28 de janeiro de 2016

Desígnios



DESÍGNIOS

Do imenso vale ao redor de nós
Brotou uma gota de perfume
Daquelas tardes de amor e ciúme
Que temperavam sabores em nós.

Eram tardes de amor e sonho
Compondo beijos e sentidos
Que descaminhos hoje vividos
Eram desígnios quais suponho.

Ter sido o sentido da claridade
A nos converter em mais amor,
Em mais essência para onde for
Esse aroma exalando saudade.

Tal qual esse sol viajor, andante,
Rebento de luz depois da chuva
A mostrar que o tempo foi a luva
Revestida lado à lado caminhante.

Ternamente em nós, pausa e ebulição
Sobrevoando instantes impregnados
De olores sussurrantes, almiscarados
De nossas bocas num beijo de paixão.


Vilma Piva
Direitos Autorais Reservados®


quarta-feira, 27 de janeiro de 2016

Trovador



TROVADOR

Encanta o trovador
Com melodias de emoção,
Nas cordas do amor
Canta feliz o coração !


Vilma Piva
Direitos Autorais Reservados ®

segunda-feira, 25 de janeiro de 2016

Das Esperas - II -


DAS ESPERAS - II -

Eu sou o que te espera após o estio
Daquela noite escura, caída, a perecer
De fome e frio, cega, querendo rever
Teus olhos de alquimias ainda que tardios.

Eu sou a noite que atravessa sombras
Enquanto vigio o gosto de teus beijos
Em rondas de sonhos, amor e desejos
Debaixo das palavras que me assombras.

Sou a voz tremula e ansiosa que te espera
Num sussurro de ondas agigantando o mar,
No flagrante do leito, no teu peito de amar
E nesse sorriso que no meu rosto se fizera.

Eis que trago minhas mãos em teus cabelos
E meus lábios em tua boca onde desatei
Meu corpo acalorado que no teu tanto amei,
Apaixonadamente, amor, hei de revivê-lo.

Vilma Piva
Direitos Autorais Reservados ®

DE LA ESPERA - II -

Yo soy lo que se espera después del verano
Esa noche oscura, caída, el perecer
Del hambre y de frío, ciego, quiero revisar
Los ojos de la alquimia, aunque tarde.

Yo soy la noche que cruza sombras
Mira como es el sabor de sus besos
En las rondas de los sueños, el amor y los deseos
Debajo de las palabras que me acechan.

Yo soy la voz de las olas que espera con ansiedad
En un susurro las gigantescas olas del mar,
En huelga de cama con su corazón al amor
Con sonrisa que en mi cara hizo.

He aquí, yo traigo mis manos en tu pelo
Y mis labios en tu boca cuando suelto
Mi cuerpo arde de tal manera de amor
apasionadamente, ven amor, para verlo.

Traducción libre
Ricardo Guitierrez

sábado, 7 de novembro de 2015

Pedido a um coração






PEDIDO A UM CORAÇÃO

Trancaste o coração no peito
Sob pena de não mais sentir emoção
Deixá-lo quase inerte, desfeito
Em solidão e sem qualquer ilusão.

Pobre infeliz! Sem ter um jeito
De se aquecer no amor e paixão
Paga por sua letargia no peito
Atravessando frios em noites em vão.

Ah coração !Peça liberdade,
Bata forte, pois tens o direito
De se emocionar com vontade,

De sonhar, livre, sem preconceito
Abrigar todos os sentires eleitos
Comandante dentro desse peito!

Vilma Piva
Direitos Autorais Reservados ®

segunda-feira, 2 de novembro de 2015

Finados



FINADOS


Tal qual o vento
Que por aqui também passa,
nós passaremos!


Vilma Piva
Direitos Autorais Reservados ®

sábado, 31 de outubro de 2015

Coração Calado



CORAÇÃO CALADO

Sagrou-se o canto em teu peito 
e amorosamente me cingiu 
de silêncios em doces feitos,
traduziu-me e daqui não mais fugiu. 


Visitou-me prisioneira do amor
Nas celas da saudade coronária
Sem que se possa falar dessa dor
Sem sonhos e vida solitária.

Ouviu meu coração calado, silente,
Querendo gritar o amor que viveu
Preso, agoniado, sobrevivente

Quando esbarrei na voz que me prendeu
Condenando-me a falar somente
Às grades que um dia me comoveu.



Vilma Piva
Direitos Autorais Reservados ®

sexta-feira, 30 de outubro de 2015

Puro Prazer



PURO PRAZER

Embebes –me de amor  em ti, paixão,
Enlaçado aos meus seios afogueados
Quando passas teu rosto em exploração
E crestam os desejos assanhados.

Delicio-me de prazer sem hesitação
Sobre teu corpo atento, aguçado,
 Ao vicio do meu ventre em tesão
Querendo nosso gozo mais arrojado.

Fartas-me da tua carne pulsante
Ao cerne do fogaréu em delírios
Encaixada ao teu sexo picante

Vivo e remexo ao som gritante
Do teu gozo viril, qual um círio
Em chama de ardência abrasante.



Vilma Piva
Direitos Autorais Reservados ®

quinta-feira, 22 de outubro de 2015

Folha



FOLHA

Baila em ondas
no ar, folhas a dançar,
gira e me sondas!

Vilma Piva
Direitos Autorais Reservados ®

sábado, 10 de outubro de 2015

Vozes





VOZES

Vibram as vozes
que na multidão ressoam,
elas ecoam velozes.



Vilma Piva
Direitos Autorais Reservados ®


terça-feira, 6 de outubro de 2015

Beijo da Saudade



Beijo da Saudade 

A saudade beijou meus lábios calados
E tua saliva umedeceu minha boca
Com águas de desejos de eldorado
Retirando a água salobra quase louca.

E minha língua murmurou o desejo
De beijar-te mais uma vez, o´amado,
Unindo nossos lábios num último lampejo
Alertando-me que teus lábios são meus aliados.

E convenceu-me dessa tal vontade insaciada
Ao manter-me unida ao mel dessa saudade
Beijando-te ao encontro da nossa morada

Onde o amor existe em nossa imensidade
Em beijos, toques, olhares e mãos dadas
Emoldurados nos perfis da nossa intimidade.

Vilma Piva
Direitos Autorais Reservados ®




segunda-feira, 5 de outubro de 2015

Flor do Amor




Só a flor do amor
floresce, enrubesce,
Na cor do vigor!


Vilma Piva

Direitos Autorais Reservados ®

domingo, 20 de setembro de 2015

Setembro






Setembro chegou
trazendo a  primavera
que no ipê floresceu!


Vilma Piva
Direitos Autorais Reservados ®