Marcadores

Seguidores

terça-feira, 17 de abril de 2018

Sensibilidade - Eu Poético -


SENSIBILIDADE - Eu Poético -

A sensibilidade de todo poeta está no sentir:
da alma ao coração, do toque da pele à emoção,
do amor à paixão e sobre toda e qualquer razão
de uma chama que inflama para o espírito se transluzir!

Vilma Orzari Piva
Direitos Autorais Reservados ®


quinta-feira, 12 de abril de 2018

Essência e Ermida


ESSÊNCIA E ERMIDA

Há um sino que tange
Minha voz de capela
Ao  teu palato...
Sons que estremecem
A solitude campal
Ao toque da tua guarida...

Ressoas na minha ermida
tão íntimo que me faz Diva
A galgar os degraus 
De essências e sentidos
Ao deitar-me em teus hinos...

Ouço-te em repiques de sinos
A chamar-me ardente
Para tua catedral
Em êxtase punjente !

Vilma Orzari Piva


Direitos Autorais Reservados ®

terça-feira, 3 de abril de 2018

De lá, prá cá



DE LÁ, PRÁ CÁ

A vida é uma corrida
de lá, pra cá, daqui, pra lá!
 É sempre caminhada vivida
 à procura da poésis, tão acolá.

Vilma Orzari Piva
Direitos Autorais Reservados ®


sábado, 17 de março de 2018

Barcos


                                                               Foto de Rui Santos

BARCOS

Ancorados estão
dois barcos, dois destinos_
Tempo de espera!


Vilma Orzari Piva
Direitos Autorais Reservados ®

sexta-feira, 16 de março de 2018

Rubra Lua



RUBRA LUA

Hoje a lua ruborizou
Só pra me escandalizar
Enfeitiçou meu olhar
Tracejou o que eu concebia

Era teu rosto que em mim se via
E meu sorriso aquecia a fome
De tanto chamar teu nome
Nada mais se movia.

Um só desejo...
Impregnando minha pele de alegria
Ela quer nos ver passar
Tem saudades da nossa energia.

Proíbe-me agonias, me desafia
Em noites de longos murmúrios 
Apoderam-se as heras dos muros
Vigia....
Esta minha louca vontade de te amar
Todo dia.

Vilma Orzari Piva
Direitos Autorais Reservados ®

sexta-feira, 9 de março de 2018

Música em Relevo


Música em Relevo

A música em relevo
Prende os braços das horas
Nos ombros da memória...

Solta a pluma dançante
Sobre as sapatilhas
Que flutuavam
Nos deslizes
Das danças...

Ave das pistas
No pouso dos pares
Nas ondas dos mares
Em sonhos de ametista.

Corpos insinuantes
Mãos dominantes
Olhos de quebranto
Nos pés que meditam
Lembranças dos passos
Num coração que levita !

Vilma Orzari Piva
Direitos Autorais Reservados ®

quarta-feira, 7 de março de 2018

Bumerangues






BUMERANGUES

Somos 
Bumerangues,
Do sol das areias
À lua dos mangues.

Somos
 Remos de sorrisos
Marés de lua cheia
Lanças de abismos.

Somos 
Porto e embarcação
Arremedo dos dias
Retorno e superação.

Vilma Piva
Direitos Autorais Reservados ®


domingo, 4 de março de 2018

Lua Opaca




LUA OPACA

Quando a lua opaca
Fita-me lá do alto
Desliza uma lágrima na vidraça.

Vê-se quão própria é ela
Emoldurando-me empalidecida
Ao lado do sonho que não dormiu,

 Bem atrás do meu rosto, nas marcas do tempo,
O teu bem querer soltou meus cabelos 
E me ensinou olhar o mundo em busca do teu brilho.

Vilma Orzari Piva
Direitos Autorais Reservados ®

quinta-feira, 1 de março de 2018

Efêmera Rosa




Efêmera Rosa

Vejo-te tão bela, efêmera rosa,
No langor do colo meu.

Vejo-te viva nutrindo sedas
No abandono do rosto meu.

Quanta seiva no frágil corte
Espelhando o viço do apogeu.

Quanta maciez em tuas pétalas
Enfeitando recantos e céus...

Dás –me, então, efêmera rosa,
A beleza do vigor que escondes,

O calor daquele meu rosto breve
E a essência da mão que a colheu.

Vilma Piva
Direitos Autorais Reservados ®

quarta-feira, 28 de fevereiro de 2018

O Mar




O MAR

Explodem ondas
num abraço aos rochedos:
Lágrimas de sal.


Vilma Piva
Direitos Autorais Reservados ®

terça-feira, 6 de fevereiro de 2018

Harpa Silente



HARPA SILENTE

Com palavras ternas de amor
 Ressurge no meu caminho 
O ícone saudoso do amor 
Sem o sabor do nosso vinho. 

Ah...Perdidas luas sem teu carinho
[Harpa silente dos versos meus]
Somos dois sem ter um ninho
Depois daquele sentido adeus.

Ronda-me a flor da saudade 
Que eleva o amor ao infinito
Entre pétalas da realidade
O sonho de um tempo bonito.

És ponte entre céus e terras
Ao portal do amor cativante
Passo à passo em mim descerras
Poesias de um coração amante.

Vilma Piva
Direitos Autorais Reservados ®

sábado, 28 de outubro de 2017

Homenagem de Adeus ao Poeta Odir da Cunha Milanez



Homenagem de Adeus 
ao Poeta 
Odir da Cunha Milanez

A poesia chorava nessa manhã
De céu cinza, nublado, encoberto
Por nuvens escuras e sem o afã
De um claro horizonte desperto.

Chorava o verso do poeta amado
Que fora fértil de amor na vida
Hoje em triste silencio, calado,
Não buscava suas rimas cativas.

Era o momento da despedida
Do grande mestre e sua poesia
Entre céus e  terras tão sentidas
Chorei o adeus nesse triste dia.

Adeus Mestre Poeta ODIR !
Saudades!
Vilma Piva
27/10/17


terça-feira, 17 de outubro de 2017

Buquê Amarelo



Buquê Amarelo

Deste - me um buquê de esperanças
para contigo sonhar em cada alvorecer.
Deste - me o caminhar entre desejos
guardados em tua boca de paixão e amores.
Deste - me o amarelo ouro do sol radiante,
o mesmo que brilha em nossos dias
entre abraços e enleios de saudades!

Vilma Piva
Direitos Autorais Reservados ®

sábado, 22 de abril de 2017

Domingo





Domingo é dia de folga,
Só amor cabe no meu dia,
Só teu beijo me empolga
É dia da nossa estadia!

Vilma Orzari Piva
Direitos Autorais Reservados ®

sexta-feira, 14 de abril de 2017

Sapateado


SAPATEADO

Meu coração
Bate num revirado.
Me deixa mestiça,
Quebradiça de todo lado.

Escancarado...
Tem mania de sobressaltos
Acelera meu peito
Dispara no ato.

Conta-me um fato
Encena-me mulher:
Equilibrista
Trapezista
Romancista
Do teu arranha-céu.

E sapateia ritmado
Insistente, oxigenado,
Até que eu o faça apascentado
Com tua respiração ao meu lado.

Vilma Orzari Piva
Direitos Autorais Reservados ®