Marcadores

Seguidores

quinta-feira, 28 de janeiro de 2016

Desígnios



DESÍGNIOS

Do imenso vale ao redor de nós
Brotou uma gota de perfume
Daquelas tardes de amor e ciúme
Que temperavam sabores em nós.

Eram tardes de amor e sonho
Compondo beijos e sentidos
Que descaminhos hoje vividos
Eram desígnios quais suponho.

Ter sido o sentido da claridade
A nos converter em mais amor,
Em mais essência para onde for
Esse aroma exalando saudade.

Tal qual esse sol viajor, andante,
Rebento de luz depois da chuva
A mostrar que o tempo foi a luva
Revestida lado à lado caminhante.

Ternamente em nós, pausa e ebulição
Sobrevoando instantes impregnados
De olores sussurrantes, almiscarados
De nossas bocas num beijo de paixão.


Vilma Piva
Direitos Autorais Reservados®


quarta-feira, 27 de janeiro de 2016

Trovador



TROVADOR

Encanta o trovador
Com melodias de emoção,
Nas cordas do amor
Canta feliz o coração !


Vilma Piva
Direitos Autorais Reservados ®

segunda-feira, 25 de janeiro de 2016

Das Esperas - II -


DAS ESPERAS - II -

Eu sou o que te espera após o estio
Daquela noite escura, caída, a perecer
De fome e frio, cega, querendo rever
Teus olhos de alquimias ainda que tardios.

Eu sou a noite que atravessa sombras
Enquanto vigio o gosto de teus beijos
Em rondas de sonhos, amor e desejos
Debaixo das palavras que me assombras.

Sou a voz tremula e ansiosa que te espera
Num sussurro de ondas agigantando o mar,
No flagrante do leito, no teu peito de amar
E nesse sorriso que no meu rosto se fizera.

Eis que trago minhas mãos em teus cabelos
E meus lábios em tua boca onde desatei
Meu corpo acalorado que no teu tanto amei,
Apaixonadamente, amor, hei de revivê-lo.

Vilma Piva
Direitos Autorais Reservados ®




DE LA ESPERA - II -

Yo soy lo que se espera después del verano
Esa noche oscura, caída, el perecer
Del hambre y de frío, ciego, quiero revisar
Los ojos de la alquimia, aunque tarde.

Yo soy la noche que cruza sombras
Mira como es el sabor de sus besos
En las rondas de los sueños, el amor y los deseos
Debajo de las palabras que me acechan.

Yo soy la voz de las olas que espera con ansiedad
En un susurro las gigantescas olas del mar,
En huelga de cama con su corazón al amor
Con sonrisa que en mi cara hizo.

He aquí, yo traigo mis manos en tu pelo
Y mis labios en tu boca cuando suelto
Mi cuerpo arde de tal manera de amor
apasionadamente, ven amor, para verlo.

Traducción libre
Ricardo Guitierrez