Marcadores

Seguidores

sexta-feira, 28 de setembro de 2012

Sem Enganos



SEM ENGANOS

Quando o amor nos sorria cara a cara
Tudo era belo e a contento, nos dava
Verdades que jamais nos enganara
Sobre nosso amor que no peito estava.

Éramos mãos dadas. Felizes sorríamos,
Cantando o sol e toda beleza do dia
E a noite com seus mantos nos cobríamos
Para estreitar corpo e alma em poesia.

Mas, de repente, veio um novo trilhar
Levando os corações a pulsarem sozinhos
E dentro de nós mesmos havia um olhar

Ardendo em pensamentos por seus ninhos
Num ir e voltar a esmo, sem nos enganar,
Pois o amor nos enamorou passarinhos.

Vilma Piva
Direitos Autorais Reservados ®

quarta-feira, 26 de setembro de 2012

A Palavra



A palavra é barco que singra
o mar do imaginário e
nos leva a viagens incríveis
pelas rotas do universo poético.


Vilma Piva
Direitos Autorais Reservados ®

domingo, 23 de setembro de 2012

Haicai - Vencedor do 1º Concurso Haicais de Marte





Categoria - Haicai Ocidental
* * 
*


Chora ribeirão.
Espreito o seu leito
Cantante no chão.
* *
*
Vilma Piva
Direitos Autorais Reservados ®

Agradeço sensibilizada aos amigos Poetas de Marte,
pela indicação do meu Haicai, Vencedor do 1. Concurso  Haicais de Marte.
Ao Cristiano Marcell, meus parabéns pelo incentivo a Arte do Haicai !
Viva a Poesia! Viva todos os Haicaidistas!!

VISITEM

sábado, 22 de setembro de 2012

Rede de Amor



REDE DE AMOR

Olho-te na rede a balouçar desejos
E esparges ao vento o cio da tua pele
Que sabe onde moram meus beijos
Atiçados em ti e não os repele.

Atrai-me a volúpia da tua boca
E esgueiro-me quase sem juízo
Ao teu lado, em delírio, louca,
Entregue ao anseio que preciso.

No ranger da rede a nos embalar
Aprontas-te num rocio de carinho
Ao despir-me dos panos para amar

O teu peito todo em desalinho.
Provoco teu ventre ao meu dançar
No doce balanço do nosso ninho!

Vilma Piva
Direitos Autorais Reservados

segunda-feira, 17 de setembro de 2012

Só chamando Padim Ciço



SÓ CHAMANDO PADIM CIÇO

Para eleição há jeito!
Botei na minha lista
Padre Romão Batista
Prá livrar do mal feito,
Do voto errado no preito!
É muita descaração,
Promessa e enganação
Que só ele, Padim Ciço,
Tira limpo esse serviço
De milagre em eleição!

Vilma Piva
Direitos Autorais Reservados ®

Exercício poético em décima.
Resposta ao Cordel do mesmo título de
Odir Milanez da Cunha.

sexta-feira, 14 de setembro de 2012

Saudades, Quanto Me Lembro!

Obra de Lauri Blank

SAUDADES, QUANTO ME LEMBRO!
Rondel XXIX

Saudades sob o céu de setembro
Naquele vento claro que tu me viu...
Hoje, só pensamentos. Quanto lembro,
Enamorada, do quanto me ouviu!

Sonhamos perdidamente, me lembro
Em tua boca e o infinito nos mentiu!
Saudades sob o céu de setembro
Naquele vento claro que tu me viu...

Felizes momentos! Até deslembro
Se tu ou eu quem mais dores sentiu
Na chegada da tristeza ao ombro
Do sol quente que um dia nos ungiu...
Saudades sob o céu de setembro!

Vilma Piva
Direitos Autorais Reservados ®

sábado, 8 de setembro de 2012

Sol das Manhãs


Obra de Lauri Blank


SOL DAS MANHÃS

Macio como um xale de arminhos
Desliza sobre a pele teus beijos
Na manhã morna dos teus carinhos
Aos sois que nos acalentam desejos.

No vazio do meu colo aquecido
Liberas-me o perfume da saudade
No quanto pude te amar (in)contido
Em meus braços de amorosidades.

Ainda me lembro ao sol das manhãs
Florescendo em teu peito ternuras,
Misturados ao perfume de hortelã

Ardendo nossas mãos de procuras,
Suaves, ternas, pequenas guardiãs
Das pontes ensolaradas de venturas!

Vilma Piva
Direitos Autorais Reservados ®

quarta-feira, 5 de setembro de 2012

Noites Sem Fim

Obra- fleur-de-vin-1996-Francine-Van-Hove


NOITES SEM FIM
Rondel - XXVII

Nas noites que emergiam sem fim
No alarido da tua voz no meu coração
Havia uma dor que doía sentida em mim
Sem tuas mãos de carícias e paixão!

Eram noites escuras sem o carmesim
Dos beijos desbotados do verão
Nas noites que emergiam sem fim
No alarido da tua voz no meu coração!

Triste nostalgia apunhalou-me enfim
Em delírios disfarçados de tentação
Em nossas mãos de anjo querubim
Querendo–nos enlaçados em sedução
Nas noites que emergiam sem fim!

Vilma Piva
Direitos Autorais Reservados ®

sábado, 1 de setembro de 2012

Sol de Setembro

Obra de Vladimir Volegov

SOL DE SETEMBRO
Rondel XXVIII

Ao sol de setembro, pétalas nascidas
Exalam o doce cheiro das manhãs
Das rosas brancas e perfumadas
Que já prenunciam cores talismãs.

É quase primavera! Horas de idas
Para uma nova era e gosto de maçãs
Ao sol de setembro. Pétalas nascidas
Exalam o doce cheiro das manhãs.

Nas brisas leves que passam batidas
Por entre o verde claro das romãs
Florescem vidas, posses nas avenidas,
E explodem flores, cores em afãs
Ao sol de setembro, pétalas nascidas!

Vilma Piva
Direitos Autorais Reservados ®