Marcadores

Seguidores

terça-feira, 30 de novembro de 2010

Vinhos de Mim



VINHOS DE MIM

Em você....
Sou mulher de cabelos soltos
Marcas e umbigos colados
Rosto despido, embevecido,
Num beijo tinto de amor !

Em você....
Sou pura e cativa sedução
De sedas e linhas extenuadas
Delírios de tentação esperada
Entre tuas pernas entrelaçadas.

Em você....
Sou aviso, concórdia,
Paraíso em delírios de paixão
Sobre os lençóis grudados
Numa só pele em transpiração.

Em você....
Sou corpo aninhado
Carícias de cios molhados
No arfar indolente do prazer
Embriagada de todo querer!

Vilma Piva
Direitos Autorais Reservados ®




*VINOS DE MI

Enn usted....
Soy mujer de cabellos sueltos
Lacras y ombligos pegados
Rostro desnudado, sumergido,
En un beso tinto de amor !

En usted....
Soy pura y cautiva seducción
De sedas y líneas extenuadas
Delirios de tentación esperada
Entre tus piernas entrelazadas

En usted....
Soy aviso, concordia,
Paraíso en delirios de pasión
Sobre las sábanas enredadas
En una sola piel en transpiración

En usted....
Soy cuerpo anidado
Caricias de celos mojados
En el jadear indolente del placer
Embriagada de tu torpe querer!

*Traducción Rosa Buk

Lágrima


LÁGRIMA
 
Do cândido choro
Verte o sal da lágrima
Num mar de ternura.


Vilma Piva
Direitos Autorais Reservados ®

domingo, 28 de novembro de 2010

Lábios de Cereja



LÁBIOS DE CEREJA

Labios de cereja ao sabor do vento
É o gosto que sinto nesse meu cantar
Quando tu vens num vôo passarinhar
O doce ninho que na boca acalento.

E caprichosamente tu me destinas
Ser vermelha, doce , transparente,
Sabor de néctar, polpa mordente,
Mel que maduramente me impregnas.

E sou quase música, quase poesia.
Um rubro casulo da eterna canção.
A miragem da noite na doce ilusão
De ter teu nome na boca dos meus dias.

Vilma Piva
Direitos Autorais Reservados ®

sábado, 27 de novembro de 2010

Feitiço


FEITIÇO

Vens cerejar minha boca
Com tua língua molhada,
Acariciante, orvalhada
De maciez quase louca.

Docemente me enfeitiças
Com sabores de desejos,
Frutificando-me beijos
Em tua boca movediça.

Tão mágicamente envolvente
Que teu aroma me faz cativa
Desvelando-me sempre viva
Em teu lírico paladar apetente.


Vilma Piva
Direitos Autorais Reservados ®

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Fada Nua


FADA NUA

...E no mágico instante da transcendência
O coração bate e rebate ardente
No gosto latente da pele sem maquiagem.
Sensibilidade viajando pelo tempo
Na poeira da menina, cristalina, sonhadora...

Cabelos ao vento, corpo nu,
Adornos de beleza poética
Que feliz fala do amor
Canta a alvura da vida
Na intensidade das fantasias
Sorri fagueira
E ama desmaiar os olhos em cegueira.

Braços estendidos, mãos fiés à vida,
Força concentrada entre os sonhos e a razão
Prá seguir em frente numa perfeita corrente
Respirando a criação
Neste mar agreste transformador
De sentimentos em retratos de emoção.

Vilma Piva
Direitos Autorais Reservados ®

terça-feira, 23 de novembro de 2010

Musa

MUSA

No rosto de inocente imensidão
A musa viu nuvens-cachoeiras
Vertendo águas pela dor primeira
No pisado do seu próprio coração.

Quis fugir, desconversar sem ver
O que não se pode ter em branco,
Num papel que se tingiu verso franco
De amor ao poeta sem se descaber.

Ergueu os olhos e nela o céu tocou,
Espelhou-se fada poeta inteira
Precipitando aquela lira de emoção.

Devoluta nas chamas que a arrebatou,
Fez-se a magia no limiar das fronteiras
Amando-o em ardente aceitação!


Vilma Piva
Direitos Autorais Reservados ®

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Sonhos de Amar


SONHOS DE AMAR

Em tempo de respiração boca a boca
Tens meu corpo enamorado sobre o teu.
Amantes lânguidos de vozes roucas
Em bailados no gozo do apogeu.

Emaranhados escravos dos desejos
De poros suados, pelos desalinhados,
Mergulhados em salivas de beijos
Marcando meus seios de amor decotado.

E me sustém acarinhada, amada,
Debaixo dos panos do teu coração
Em danças que tuas firmes mãos
Descobrem-me em ti acinturada.

Enquanto preparas para me banhar
Ao som das chuvas de teus gemidos,
Entrego-te meu beijo mais fremido
Na paixão dos nossos sonhos de amar.


Vilma Piva
Direitos Autorais Reservados ®

sábado, 20 de novembro de 2010

Versejando


Obra de Vladimir Volegov

VERSEJANDO

Nas tentativas de dizer
sou por demais aprendiz,
Juro que ainda vou trazer
um verso bem mais feliz.

Posso até tentar escrever
Um verso real ou fantasia,
Só não sei como entender
O que é essa pura magia.

Esta luz faz o que quer
Na mente e no coração,
Noite e dia ela só quer
Assaltar a minha mão.


Vilma Piva
Direitos Autorais Reservados ®

Amazona


AMAZONA

Nossos chacras se umedecem de amores
Escravizando nossas pernas em frenesis
Soltando gemidos que nos fazem servis
Na doce vida dentro da vida dos ardores.

E acordoas-me dedilhada ao teu pinho
Cantante de águas, marés em cios
Energizada de teu tórax em desvarios
Galopamos batimentos pelos caminhos.

Nua em pelo nas rédeas dos transes
Encaixada nas selas do meu azalão
Sou tua amazona extasiada de paixão
Em tessituras de teus beijos e alcances.

Tu, cancioneiro sob meus quadris
Percorres minhas sedas em andaduras;
Seduz minha pele, minhas quenturas
E amorosamente sou tua flor de liz.

Vilma Piva
Direitos Autorais Reservados ®

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

Bailarinos



BAILARINOS

Meu corpo treme quase em prece
Ao compasso dos teus braços
Ritmando-nos a noite que desce
Dançante em nossos passos.

Bailarinos num chão de estrelas
Onde teu peito arfante faz serenata
Encaixado aos meus seios de sonatas
Pautas o humano amor ao vê-las.

E me deleitas nua, boca a boca,
Acinturada ao teu firmamento
Arrepias-me estremecimentos
Içando-me explosão quase louca.

Noite afora amando-te ardoroso
Regente entre minhas pernas
Entrelaçadas de tuas luzes ternas
Tenho-o, meu semi-deus garboso!

Vilma Piva
Direitos Autorais Reservados ®

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Água Marinha


ÁGUA MARINHA


Na realeza da tua cor azul
Sou água marinha sob o cobalto
 Do céu que me retinta do alto
Em ondas claras de norte a sul.

Átimo reluzente de sonhos
Na pedra azul do teu coração
Cristalizada na cor da paixão
E no real azul que disponho:

Ser alegrias em movimentos
Ao encontro do amor amante
Decifrando teu puro diamante
No meu mar de sentimentos.

Vilma Piva
Direitos Autorais Reservados ®

terça-feira, 16 de novembro de 2010

Carisma Azul

CARISMA AZUL

No tibio olhar das madrugadas
Luzem estrelas no céu amante
Dissipando brumas suspirantes
Ao divinizar faces enluaradas.

Diante dos teus olhares de paixão
Flutuo enlevada em pura estesia
De não caber em mim toda poesia
Ao ver-te tão próximo, ó doce ilusão!

São piscares dos meus olhos em lumes
De céus nas doçuras de teus braços,
Girando-me em profundos mormaços
No doce parnaso dos teus perfumes.

E concebes-me luzes, cores, prismas,
Constelações bailando-me radiosa
Entre as vagas das estrelas luminosas
Iluminando-me no azul do teu carisma!

Vilma Piva
Direitos Autorais Reservados ®

domingo, 14 de novembro de 2010

Adélia Prado

 Vilma Piva e  Adélia Prado - Novembro de 2008


"Mulher é desdobrável. Eu sou." 
*
*
*
"O sonho encheu a noite
Extravasou pro meu dia
Encheu minha vida
E é dele que eu vou viver
Porque sonho não morre."


Adélia Prado
Direitos Autorais Reservados ®

sábado, 13 de novembro de 2010

Orações e Poemas...




"Orações e poemas são a mesma coisa:
palavras que se pronunciam a partir do silêncio,
pedindo que o silencio nos fale."

Rubem Alves
Direitos Autorais Reservados ®


sexta-feira, 12 de novembro de 2010

Luz Azul


LUZ AZUL

Ainda que o sol empreste tua cor
Para dourar minha pele
E a noite me banhe com a luz leitosa da lua
Nada resplandecerá, senão pela luz azul
A varar pelas meninas de teus olhos castanhos
Pondo-me a brincar no jardim do céu
Sob chuvas de flores de São Miguel.

Num leve toque de vento
Girando-me como um catavento
Arrepiando minh´ alma comovida
Em brisas de cirandas
Do meu amor à tua vida,
Num campo de força
Nutrindo cantantes sempre-vivas.

Anuncias meu corpo esvoaçante
Presa ao teu manto cintilante
De encantos e ternuras
De malícias e tonturas
De instintos e bravuras
Entre os cílios que desnudam o teu rosto
Instalas toda plenitude do nosso amor
Na mais linda das quimeras
Ao transpor o teu azul
Em regas na minha primavera.

Vilma Piva
Direitos Autorais Reservados ®

quinta-feira, 11 de novembro de 2010

Águas Cristalinas


ÁGUAS CRISTALINAS

Ergues-me como templo emergido
Das profundas águas cristalinas
Amparando minhas pernas altinas,
Pilastras banhadas de teus bramidos.

Iças-me e vergo minha coluna sobre ti
Em sinal de reverência em pensamentos,
Acoplada aos nossos sentimentos
De ombro a ombro, aconchego-te.

Portal do meu amor santuário
Estendida aos beijos às tuas costas,
Encastelo-te em concha e me mostras
O sol amoroso da tua boca molhada.

Vilma Piva
Direitos Autorais Reservados ®

Sol de Alvoradas

Obra de Vladimir Volegov

SOL DE ALVORADAS

O dia ameno em claridade despontava
Trazendo sonhos para o novo alvorecer
Findando a inquieta noite no embranquecer
Da luz no horizonte que me iluminava...

Espreguiçava-me ao sol de mais um dia
Vivendo a luz dos meus olhos acordados
Que ainda há pouco, bem ao teu lado,
Dormitavam inebriados de amor e poesia.

E nas sedas do meu corpo tua voz eu ouvia
Sonhando contigo, meu sol de alvoradas,
Renascido em meu peito às madrugadas
Que transcendi desejos à luz dessa magia.

E tudo ao redor é paixão e me contagia
Insinuando-me perfumada no teu abraço
Ensolando horas ansiosas por teus passos
Amanhecidos no meu amor em travessias.

Vilma Piva
Direitos Autorais Reservados ®

terça-feira, 9 de novembro de 2010

Regato da Paixão



REGATO DA PAIXÃO

Teus olhos são dois mirantes de luzes
Que despertam sonhos com suavidades,
Adentram minhas pupilas com claridades
Provocando lampejos em meus piscares.

Teu peito é a maciez de terno regato!
Meu doce pouso para aliviar cansaços,
Meu desprender de cabelos num abraço,
E meu amor suspirante de paixão no ato.

Tua boca é meu esconderijo de tesouros!
Minha arca amoral, meu bem e meu mal,
Minha cisterna de mel, meu bocado de sal,
Meu portal de aliciamento, meu ancoradouro.

És a paz e o doce tormento que espalmo
No meu corpo em frenesis amantes
Entalhado por tuas mãos perambulantes,
Desejosamente úmidas a cada palmo.

És provocação abarcada nos meus seios!
O arrebatamento e o prazer das chamas,
A ardência entre pernas que me inflamas
Ao gozo de querer-te nos meus meios.

Vilma Piva
Direitos Autorais Reservados ®

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

Aprendiz do Inverso


APRENDIZ DO INVERSO

Há um verso no quadrante da lua
Desembrulhando um papel de seda.
De tão fino e raro
Faz-me acocorar nessa palavra:
Se houver pouco muito me importa,
Se muito não me achará morta.

No amarfanhar desta espera
Há um gancho que me pendura muda
À espreita do eclodir no meu avesso
Só prá te ver espesso
No interior deste quarto de jornada.

Vilma Piva
Direitos Autorais Reservados ®


sábado, 6 de novembro de 2010

Tempo



TEMPO

Não adianta correr contra o tempo,
ele é mercenário, ele nos cobra,
e sem escrúpulos ele nos dobra
às intempéries de seus ventos.


Vilma Piva
Direitos Autorais Reservados ®

quinta-feira, 4 de novembro de 2010

Alegria



ALEGRIA

Feliz sorriso
No aroma da tua passagem_
Chão que preciso.


Vilma Piva
Direitos Autorais Reservados ®

quarta-feira, 3 de novembro de 2010

Pardais


PARDAIS

Cantos da tarde
Na farra entre pardais,
Som e sol poentes.


Vilma Piva
Direitos Autorais Reservados ®

Cálice dos Sentidos



CÁLICE DOS SENTIDOS

Percorres o corpo da mulher com mãos de destrezas
Trilhando em mim toques de estremecer margens
Visionárias, acalentando em ti ícone das aragens,
 Em meu cálice de sentidos reinantes na tua beleza.

Ponto a ponto, perito em descobertas de beijos
Ao decifrar minha língua de amor em tua boca
Ardorosa, brasa da minha chama quase louca,
Incendiando meu viver em teu peito de desejos.

És razão dos meus afagos encharcados de paixão
Em teus braços de infinitos em noites de luares,
Gementes de amores pelo universo dos pares,
Tais amantes predestinados ao corpo e coração.

Senhor do meu destino, cognome das volúpias,
Signo desse meu amor que trago por oferenda
Ao teu nicho de mistérios para que me prendas
Ao leito flagrante das tuas mãos em fúrias.


Vilma Piva
Direitos Autorais Reservados ®

terça-feira, 2 de novembro de 2010

Sonhos de Horizontes


SONHOS DE HORIZONTES


O caminho prateado que tua lua faz
No avental de espumas que me destes,
Cresta o contorno do sonho pertinaz
Ao vê-lo envolto em minhas vestes.

Como se tu passeasses meu secreto
Recôndito de gotas em meus cabelos,
Tramando-me nua, quase sem veto,
Acordoando-te molhado em meus pelos.

Ah! Poeta valente da cintura aos pés
Aos poucos vais inundando águas
De rebolos e marulhos ao revés
Das tuas mãos rasteando-me árduas
Rotas de arrepios matando nossa sede
Lavando nossa pele que não hiberna
Sonhos de horizontes e que nos leve
Às águas cristalinas da nossa cisterna.

Vilma Piva
Direitos Autorais Reservados ®