Marcadores

Seguidores

sábado, 7 de novembro de 2015

Pedido a um coração






PEDIDO A UM CORAÇÃO

Trancaste o coração no peito
Sob pena de não mais sentir emoção
Deixá-lo quase inerte, desfeito
Em solidão e sem qualquer ilusão.

Pobre infeliz! Sem ter um jeito
De se aquecer no amor e paixão
Paga por sua letargia no peito
Atravessando frios em noites em vão.

Ah coração !Peça liberdade,
Bata forte, pois tens o direito
De se emocionar com vontade,

De sonhar, livre, sem preconceito
Abrigar todos os sentires eleitos
Comandante dentro desse peito!

Vilma Piva
Direitos Autorais Reservados ®

segunda-feira, 2 de novembro de 2015

Finados



FINADOS


Tal qual o vento
Que por aqui também passa,
nós passaremos!


Vilma Piva
Direitos Autorais Reservados ®

sábado, 31 de outubro de 2015

Coração Calado



CORAÇÃO CALADO

Sagrou-se o canto em teu peito 
e amorosamente me cingiu 
de silêncios em doces feitos,
traduziu-me e daqui não mais fugiu. 


Visitou-me prisioneira do amor
Nas celas da saudade coronária
Sem que se possa falar dessa dor
Sem sonhos e vida solitária.

Ouviu meu coração calado, silente,
Querendo gritar o amor que viveu
Preso, agoniado, sobrevivente

Quando esbarrei na voz que me prendeu
Condenando-me a falar somente
Às grades que um dia me comoveu.



Vilma Piva
Direitos Autorais Reservados ®

sexta-feira, 30 de outubro de 2015

Puro Prazer



PURO PRAZER

Embebes –me de amor  em ti, paixão,
Enlaçado aos meus seios afogueados
Quando passas teu rosto em exploração
E crestam os desejos assanhados.

Delicio-me de prazer sem hesitação
Sobre teu corpo atento, aguçado,
 Ao vicio do meu ventre em tesão
Querendo nosso gozo mais arrojado.

Fartas-me da tua carne pulsante
Ao cerne do fogaréu em delírios
Encaixada ao teu sexo picante

Vivo e remexo ao som gritante
Do teu gozo viril, qual um círio
Em chama de ardência abrasante.



Vilma Piva
Direitos Autorais Reservados ®

quinta-feira, 22 de outubro de 2015

Folha



FOLHA

Baila em ondas
no ar, folhas a dançar,
giram e me sondas!

Vilma Piva
Direitos Autorais Reservados ®

sábado, 10 de outubro de 2015

Vozes





VOZES

Vibram as vozes
que na multidão ressoam,
elas ecoam velozes.



Vilma Piva
Direitos Autorais Reservados ®


terça-feira, 6 de outubro de 2015

Beijo da Saudade



Beijo da Saudade 

A saudade beijou meus lábios calados
E tua saliva umedeceu minha boca
Com águas de desejos de eldorado
Retirando a água salobra quase louca.

E minha língua murmurou o desejo
De beijar-te mais uma vez, o´amado,
Unindo nossos lábios num último lampejo
Alertando-me que teus lábios são meus aliados.

E convenceu-me dessa tal vontade insaciada
Ao manter-me unida ao mel dessa saudade
Beijando-te ao encontro da nossa morada

Onde o amor existe em nossa imensidade
Em beijos, toques, olhares e mãos dadas
Emoldurados nos perfis da nossa intimidade.

Vilma Piva
Direitos Autorais Reservados ®




segunda-feira, 5 de outubro de 2015

Flor do Amor




Só a flor do amor
floresce, enrubesce,
Na cor do vigor!


Vilma Piva

Direitos Autorais Reservados ®

domingo, 20 de setembro de 2015

Setembro






Setembro chegou
trazendo a  primavera
que no ipê floresceu!


Vilma Piva
Direitos Autorais Reservados ®


sexta-feira, 18 de setembro de 2015

Passageiros



Passageiros dessa vida
Nós somos forasteiros:
Frágeis em despedidas,
Valentes estradeiros.


Vilma Piva
Direitos Autorais Reservados ®

quarta-feira, 9 de setembro de 2015

Noite



NOITE

A noite é repleta de sonhos
Estampados nas brancas paredes
Caiadas no ontem das lembranças.

Ela é dona das esperas do amanhã
Tramada entre luz e sombra,
Compassivamente estrelada.

A noite é urdidura do tempo
Cenário de tramas e desejos
Conspiradora de acalantos.

Ela é a doce magia do silencio,  
A voz dos amantes e da poesia,
O mistério e a revelação.

Por isso ando de mãos dadas
Com a noite para não me perder
só, na escuridão dos meus caminhos.

Vilma Piva
Direitos Autorais Reservados ®

sábado, 5 de setembro de 2015

QUERO





QUERO

Quero um lugar para os sonhos
Sem os enganos da decepção
Sem os mal feitos dos descasos.

Quero um lugar azul libertação
Com um bom tanto de lirismo
Para bem oxigenar meu coração.

Quero um lugar de sol e chuvas,
Sem medo da estiagem, florescer,  
Para que sonhos me caibam como luvas!



Vilma Piva
Direitos Autorais Reservados ®

terça-feira, 11 de agosto de 2015

Teu Olhar


TEU OLHAR

Passam em teu olhar amores vividos:
A cor da juventude e a tarde, 
O dourado do sol amanhecido,
O verso só que na praia invade.

Passam em teu olhar sonhos redivivos:
O som mágico da voz em alarde,
Os ventos segregando-te motivos,
A centelha do amor que muito arde.

Passam nossos  mundos incertos,
Todos os mares, em ti, tão perto,
Todos os caminhos e desejos.

Inteiro e extenso tu encerras
Toda  poésis entre céus e terras,
E tu não passas, vens como beijos!


Vilma Piva
Direitos Autorais Reservados ®

sábado, 8 de agosto de 2015

Cadeira na Calçada



Bem nos disse Mario Quintana sobre um tempo que havia cadeiras nas calçadas,
e desse tempo eu me recordo bem....

Lembro daquele burburinho da rua Santa Cruz nos finais das tardes, quando a criançada num corre-corre já esperava os amigos para brincarem de amarelinha, matança, bola, bolinhas de vidro, peão, boneca ou bicicleta, enquanto os adultos se acomodavam em cadeiras nas calçadas, sob a luz da lua, para mais um bate papo na boca da noite.

O tempo passava devagar ......acho mesmo que ele meditava sobre os risos soltos, os pequenos gestos, as grandes amizades e sobre o cuidado daqueles olhares atentos de meu pai.


Saudades da minha rua!

Saudades dos meus pais!!


Vilma Piva
Direitos Autorais Reservados ®




sábado, 25 de julho de 2015

Renovação




RENOVAÇÃO

Tingir a face de expectativas
Redesenhar esperanças ao sol
Pisar firme nessa estrada viva
Fortalecer-se a cada arrebol!

Renovar-se como as floradas
Que retomam seus ramos nus
Para reflorir margens rosadas
No contraste de sombra e luz!

Raiar-se de buscas, visões e fé
Amar-se em verdades do coração
 Misturar-se ao reino da grande Sé
que nutre e renova toda paixão!

Vilma Piva
Direitos Autorais Reservados ®










sexta-feira, 24 de julho de 2015

Luar da Inspiração





LUAR DA INSPIRAÇÃO

Um doce canto vem à minha porta
Fazendo seresta ao luar da inspiração,
Entoando tua voz vibrante pela aorta
Como se fora fonte para meu coração.

Matizas a cor do sonho melodioso
Com paletas de amor e me pressentes
Em teu peito cancioneiro, amoroso,
E a ilusão me colore em ti tão presente.

Aqui dentro e lá fora, rio, nascente e foz!
Manancial do meu mundo, sol das cores,
Correnteza de meus sussurros à tua voz,

Quedando-me ao estribilho dos rumores,
Ao ouvir pautas de teu coração algoz:
- Sou tua lua de carícias e amores.

Vilma Piva

Direitos Autorais Reservados ®

quarta-feira, 22 de julho de 2015

Efêmera Alegria




Efêmera Alegria


Ah...
Quão efêmera é a alegria
Da lua pelo sol distante
Pois a noite trás mandinga celeste,
Tal qual ao acender-me cantos,
Vestir-me excelsa
Para brotar uma lágrima de pranto...

Vilma Piva



sábado, 11 de julho de 2015

Sedução


Sedução

Quando as manhãs espalham cores
Revelando-me o tom do sensual
Que colorem meus lábios de sabores,
Sinto reaver o teu gosto inaugural.

A cada passo,  a cada olhar
Despe-me e veste-me celeste
Em sedas e cetins a enfeitar
Cordões na minha cintura agreste.

E o vento levanta meus cabelos,
Acenam ao teu peito e ao meu calor
Com lufadas que me eriçam ao vê-lo

Debruçado ao decote sedutor
Dos meus lábios, que sem rogo e apelo
Embebe meus versos em teu amor.

Vilma Piva 
Direitos Autorais Reservados ®

terça-feira, 7 de julho de 2015

Caleidoscópio


Tela de Irina Karkabi


CALEIDOSCÓPIO

Descansando fardos e mãos
Aos pés dos rochedos os dias,
Mergulhei no peso das ausências
Sobrepostos no prumo da ilusão.

Bem ali desembrulhei meu rosto,
Asfixiado, pondo em fuga os ares
Das fitas que liberam o claustro
Do riso de meus sonhos em cores.

E de braços abertos respirei cartas
Dependuradas no cimo do horizonte
Num caleidoscópio de tintas fartas
A compor-me egressa na tua fronte.

Sem que saibam os ventos a esmos
No mosaico da tua boca a paixão
Todo meu alívio, ainda que os mesmos
Neguem-me vinhos de teu coração.




Vilma Piva 
Direitos Autorais Reservados ®

domingo, 5 de julho de 2015

Paixão de Viver




PAIXÃO DE VIVER

O teu beijo no meu beijo derradeiro
Desperta-nos deuses do amanhecer.
Amantes encantados por inteiro
E enlaçados pela paixão de viver.

Sob marcas dos lençóis amarrotados
Onde guardam carícias de endoidecer
Nossos corpos mágicos e acariciados
Novamente se aquecem ao alvorecer.

E eu, lado à lado, amante do teu peito
Respiro o sonho da noite à luz do dia
Com teu cheiro impregnado, satisfeito,

Atiçando-me tigresa em selvagem euforia
Na tua pele lanhada, alvoraçada ao feito
De sermos amantes ao sol da alforria!

Vilma Piva
Direitos Autorais Reservados ®

sábado, 4 de julho de 2015

Além da Janela



 ALÉM DA JANELA

Além  da janela,  onde pousei  meu beijo
Com gosto de cereja, hibernavam sombras
Solitárias que roubaram os desejos
De nos verem acordados em assombros.

Assim tropecei no vazio, e respirei
O vento frio que cantava o inverno
No meu corpo e nas mãos que desbotei
Em versos, sem saber do teu rosto terno.

Hoje  minha voz ronda teu travesseiro
Delineia teu peito posto em desafio
Preenche  tuas marcas de companheiro
E abraça teu corpo sem medo do vazio.


Vilma Piva
Direitos Autorais Reservados ®


sexta-feira, 29 de maio de 2015

Desejos



DESEJOS

Capturar a lua com a rede dos desejos
trazê-la para perto da nossa rua de cores
trançar seus fios de prata em mil beijos
e ver nossa noite iluminada de amores.

Deixar-se guiar pelo condão dos sonhos,
alcançar o infinito de nossas moradas
para além das estrelas onde suponho
flores na janela, por ti tão perfumadas.

Envolver-nos de amor exuberado
em fragrâncias de rosas e jasmins
e deixar-se lânguidos, abraçados,

 sob a lua branca ao som de bandolins
os nossos corações apaixonados,
eternizados em nossos folhetins.



Vilma Piva
Direitos Autorais Reservados ®


sábado, 16 de maio de 2015

Viagem Lírica




VIAGEM LÍRICA

Depois de apascentar o dia
sem belezas de arco-íris,
vislumbro  meu rosto claro
sobre a rosa dos ventos
concedendo-me o lírico
alento, por momentos,
a fuga, o voo, o refúgio
na trama dos sonhos.

E viajo espaços lilases
onde reconheço o amor
e os delírios das noites
que enluaram  palavras
 na mandala dos sonhos  
e me fazem flutuar,
 cavalgar nuvens.



Vilma Piva
Direitos Autorais Reservados ®

sexta-feira, 17 de abril de 2015

Arco-Íris







ARCO-ÍRIS


Um belo arco-íris no céu
ilumina e matiza as cores
das mil flores no jardim
e nada mais fica ao léu ! 



Vilma Piva
Direitos Autorais Reservados ®




quarta-feira, 25 de março de 2015

Amor Imorredouro



Amor Imorredouro

Não morre o amor que se tivera
Entre os braços de uma  paixão.
Tampouco o amor que houvera
Entre sorrisos e algum perdão.

Não morre o amor dentro do peito,
Nem as batidas de uma espera
Compassando assim:  tempo e feito,
Em lembranças onde se estivera.

O amor permanece imorredouro,  
Imutável , permanente, intocável,
Intacto  porto  ancoradouro.

Não morre o sentimento inefável
Nas rotas da pele em respiradouro.
É vivo esse amor inabalável!


Vilma Piva
Direitos Autorais Reservados ®

segunda-feira, 9 de fevereiro de 2015

Meu Deserto




MEU DESERTO

Rondel -  XXXII

Quando a noite fria invade meus sentires
E o vento assobia uma canção triste no ar
A noite vem escura sem quaisquer cingires
Adentrando as paredes brancas do pensar.

Caminha a escuridão da noite em vagires,
Pé ante pé sobre as lânguidas areias do luar
Quando a noite fria invade meus sentires
E o vento assobia uma canção triste no ar.

Transponho meu deserto em refletires
E nada mais me espelha ou vem falar
Silenciando meu oásis  sem mais pedires,
Morre nesse instante  todo sonhar
Quando a noite fria invade meus sentires.

Vilma Piva
Direitos Autorais Reservados ®

segunda-feira, 2 de fevereiro de 2015

Infindo Mar

INFINDO MAR

Quis o mar tragar meus braços,
levar minhas mãos em conchas
e arrancar dos meus sargaços
lamentos que me fizeram troncha.

Resisti à grande onda, dela emergi
para o sol de um novo dia remador
sobre um mar dourado onde vivi
meu sonho estelar de puro amor.

Busquei a areia, tropecei nos cacos,
revirei meu tudo, achei teus passos
marcados, crivados nos meus nacos
de paixão na praia dos meus abraços.

Ah... tormenta de bravia queimadura,
Sigo em ti abraçando-te minha paz
De infindo mar, voz que entre corais
Mareias-me espumas de viva criatura.

Vilma Piva
Direitos Autorais Reservados ®


quinta-feira, 29 de janeiro de 2015

Poeta Manoel de Barros




Poeta Manoel de Barros

O poeta queria mesmo ser *fraseador
Dos mundos das coisas e miudezas.
Queria o que sentia um palavreador
Durante a busca das singelezas.

Ele tinha um caso com a palavra.
Desde muito cedo via belezas
Que se juntavam à sua lavra
Como pedras em suas purezas.

Ouvia nas conchas sons do mundo
E via o rastejar das lesmas no chão,
Fazia de conta que o sapo rotundo
Era boi e viajava de sela no sapão.

Pensava na garça branca de brejo
Mais linda que uma nave espacial.
Era da roça, do chão sertanejo,
E voava com pássaros do pantanal!

Vilma Piva 
Direitos Autorais Reservados ®


NOTA- * Fraseador- O Poeta Manoel de Barros fez essa 
referência a si mesmo no livro Memórias Inventadas - A Infância-

quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

O Amor Não É Assim



O AMOR NÃO É ASSIM

O amor não é assim como se pensa
Na juventude louca, provando
Do amor a dois e de experiências
Em busca do incrível, só ficando.

O amor não é assim como se pensa
Cada vez que ele tira o nosso ar
Até à primeira vista há diferenças
Entre tempos para se amar.

O amor não é assim como se pensa
Perfeito, entre um sorriso e outro
Se não existe iguais ou  licença
Para gostar dos gostos  d´outro.

O amor não é assim como se pensa
Só doces sonhos e expectativas.
Há dias de bonança  e desavença
E a vida a dois tem que ser criativa.

O amor não é assim como se pensa....
Se perto, sempre poderia ser melhor,
Se longe, a distância é a sua sentença,
Mas sem afinidades não há nada pior.

Ainda assim, do amor não adianta fugir,
ele sempre habita um coração acolhedor
Que tudo espera, ama, sofre e tudo crê!

Vilma Piva
Direitos Autorais Reservados ®