Marcadores

Seguidores

sábado, 27 de dezembro de 2014

Rosas da Paixão


ROSAS DA PAIXÃO

Noite morna de perfumes no ar
e o luar transluz meu coração 
sobre tua janela de vidro.

E eu vislumbro teu vulto
sonhando passos na chegada
Iludida de amor e paixão.

E me demoro sobre teu peito
perfumada de rosas vermelhas
 saudosa daquela noite bem feliz:

Eu, você, uma rosa, um copo d´água,
e nada mais concorrendo com nosso amor,
entre juras, promessas e prazeres!

Saudades!


Vilma Piva
Direitos Autorais Reservados ®

Araponga


Araponga

Araponga, pássaro de canto forte
Cantava para todo  quarteirão
Sem se importar com sua sorte
Dentro daquele grande  gaiolão.

Naquele alto grito oficineiro
Quase o ouvido transtorna
Tal batida de um ferreiro
Do martelo na bigorna.

E eu criança quando ali passava
Torcia muito para ele não gritar
Tão estridente que apavorava
Que depressa corria atravessar.

Mas o pássaro só queria cantar
Nas matas, aos bandos, onde voava,
Estar e ficar lá em seu habitat, 
e sem ninguém incomodar.


Vilma Piva
Direitos Autorais Reservados ®


terça-feira, 23 de dezembro de 2014

O Poeta e o Verso




O POETA E O VERSO

O poeta sente o verso que vai (re)nascer.
Respira fundo e aguarda o momento
De compensar as dores do acontecer
Em forma de soneto, lindo rebento!

Prepara o coração e alma prá (re)viver
Toda emoção em puro sentimento
Estende a mão e acolhe o seu dizer
Num balbucio totalmente atento.

E tudo o mais traz belo sentido
Dizendo do amor, paixão e vida
Por caminhos à beira do vivido.

E no peito do poeta escolhido
Há um choro anunciando a vida
E nos braços um soneto parido.

Vilma Piva
Direitos Autorais Reservados ®

quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

Paixão Remexida



PAIXÃO REMEXIDA

Entre grunhidos de corpos aquecidos,
Eu, você e nada mais no quarto
Entre lençóis amassados, aturdidos
De amor, pois em você me reparto.

Menina, mulher, bruxa ou sereia
De mandos e desmandos não me aparto
Do seu corpo quente, e incendeias
Gementes ais e eu não o descarto.

Capitão da minha paixão remexida
Mergulhada em nós dois em sais
Na fúria dos quadris em investidas

Elevas ondas do teu barco ao meu cais
E abarrota meus porões sem saída
Fundindo nossos corpos aos corais.

Vilma Piva
Direitos Autorais Reservados ®


segunda-feira, 15 de dezembro de 2014

Toque de Amor



TOQUE DE AMOR

Teu peito aberto e olhar satisfeito
Inunda minhas mãos de amor
Enquanto tu me alegras ao feito
De ter mais um toque sonhador.

Nas trilhas do amor, esse preceito
Que nos envolve feliz boca a boca,
Marca a loucura de um beijo eleito
Imantando meus seios quando o tocas.

Irradiados perdura-se o momento
De meu corpo num tateio em arrepios
Evidenciando o prazer que a contento

Deixa-nos eletrizados, em desafios,
Conduzindo-nos ao movimento
Gozoso do amor em nossos desvarios.


Vilma Piva
Direitos Autorais Reservados ®


sexta-feira, 12 de dezembro de 2014

No Espelho





No ESPELHO

Eu vi refletido no espelho
A cor vermelha que tu me vestes
Num vestido coladinho até ao joelho
Executando o que me propusestes.

Eu olhei minha boca, quase louca,
Cintilando o vermelho da cereja
Em úmidos lábios e de voz rouca
Dizendo sonhos que se deseja.

Vi meus negros olhos na cor da paixão
Atraídos pelos teus encantares
Que rubro se fez vivaz o coração

Pulsando forte em meus sentires
Encarnados incêndios na visão
De quem ama com intensos luzires!

Vilma Piva
Direitos Autorais Reservados ®



terça-feira, 9 de dezembro de 2014

Toques e Retoques




TOQUES E RETOQUES


Jeito gostoso de fazer loucura
É essa a sutileza do teu toque
Querendo me levar a diabruras
Enquanto desvendas meu enfoque.

Toques de encantos tem assinatura
De feliz emoção sem qualquer retoque
Trazidas por tuas mãos de sã procura
Sem ler o aviso “não me provoque”.

Contatos pele à pele com ternuras,
Linhas aquecidas sem pára-choques
Traçando o puro amor em bravuras.

Tu e eu inscritos na aventura
Das mãos que não guardam estoques
Na mais sublime e doce clausura.



Vilma Piva
Direitos Autorais Reservados ®

sexta-feira, 5 de dezembro de 2014

Varal

Foto: Vilma Piva
VARAL

 Dependurado
somente o pensamento
Inacabado.

*

No varal, ao vento,
baila um fio que conduz
o pensamento.

*

Chuva no quintal
corre-corre sem tempo
roupas no varal.



Vilma Piva
Direitos Autorais Reservados ®

segunda-feira, 1 de dezembro de 2014

Entardecer

Foto - Vilma Orzari Piva

Ver o céu rubro
Naquela tarde que caia,
Olhares descubro.

Vilma Piva
Direitos Autorais Reservados ®