Marcadores

Seguidores

segunda-feira, 27 de agosto de 2012

Eu Me Esqueço



EU ME ESQUEÇO


Por vezes eu me esqueço...
Perambulando pelas ruas
Nas pernas dos ventos
Por rotas que são tuas.


Por vezes eu me aqueço...
De boca entreaberta
De gingado moreno
De olhos em alerta.


Por vezes eu me desvaneço...
Num ciclone sem razão
Enfurecendo a distância
Perto da paz do coração.


Por vezes eu emudeço...
Abraçada a tua alquimia
Escrevendo um novo tempo
Amando-te minha poesia.


Presente em ti eu me esqueço...
Amante do teu coração !

Vilma Piva
Direitos Autorais Reservados ®

sexta-feira, 24 de agosto de 2012

Enganas-te


Obra de Vladimir Volegov

Enganas-te!

De corpo e alma me entreguei
Ao teu amor e tão somente fui lágrima
Quando a ausência veio dizer da dor
Travando palavras por essa lástima.

Tímida, procurei tentativas de amor,
Sonhei contigo, entoei cantos solitários
E os ventos anunciaram o meu temor
De não mais estar no teu coração vário.

Preparei-me em silencio, venci os medos
E intensamente retornei meus sentires
À ilusão dos teus braços em folguedos
Para amar-te na paixão e me diluíres.

Vilma Piva
Direitos Autorais Reservados ®

quarta-feira, 22 de agosto de 2012

Ó Deuses do Amor


Ó Deuses do Amor!

Os deuses do amor devem estar loucos
Provocando desencontros de amantes
Falando coisas aos ouvidos moucos
Sem entender essa dor angustiante.

Estão enganados, perdidos, sem noção,
Querendo da cegueira levar o desamor
Em triste ausência maltratar o coração
Que sofre desesperançado sem clamor!

Os Deuses do amor devem estar loucos!
Sem banquetes para aplacar a fome
Sem água para molhar a voz, tampouco
Beijos para beijar uma boca sem nome.

Ó Deuses do Amor!Faça da insensatez
O demonstrar do sentimento do amor
A eterna loucura de amar sem mudez
E do sonho amante o altar do confessor!

Vilma Piva
Direitos Autorais Reservados ®

segunda-feira, 20 de agosto de 2012

Recomeços



RECOMEÇOS

Cada vez que a vida te esperar
No abandono da ilusão perdida
Recolha teu corpo para nova ida
E abrigue teus olhos num sonhar.

Deixe um talvez à porta de saída
E grite à primeira esperança no ar,
Como criança com olhos a brilhar,
Num vagão de luzes coloridas.

Junte tua fé ao trem dos andores,
Pois o dia e a noite são passagens
Edificando tempos sob nossos pés.

Tu saberás dos portais ao chegares
No largo do teu rosto de miragens
Calcando felicidades sem revéses!

Vilma Piva
Direitos Autorais Reservados ®

sexta-feira, 17 de agosto de 2012

Murmúrios


MURMÚRIOS

A noite nos meus braços sobreveio
antes do sol no céu adormecer.
Da meia lua o canto de meneio,
impinge à minha voz o escurecer.

Decanto à escuridão o estribilho
das vagas onde vagam meu desejo.
A lua está gestante. Espera um filho
gerado pelo sol em um só beijo.

A cada estrela que luares come,
acendo o som, murmúrios de momento,
enquanto a lua, meio nua, some.

Nino teu riso triste e teu lamento,
soletro a via láctea do teu nome,
faço, em teu céu, o meu renascimento!

 
Vilma Piva
Direitos Autorais Reservados ®

Queridos Amigos,  convido todos vocês que gostam de escrever poesias
a participarem do Evento: 1ª Prosas Poéticas do Blog Vendedor de Ilusão.
Não é concurso, nosso amigo nos oferece um precioso espaço
 para divulgar nossos trabalhos.
Visitem esse endereço e vejam os detalhes para participação.



terça-feira, 14 de agosto de 2012

À Beira Mar



À BEIRA MAR

À beira mar sou concha de amares
Nos teus braços morenos de sois.
Água de oceano nos teus lençóis;
A naufraga salina dos teus suores.

O canto da profundeza espraiada
No azul de teu peito mergulhador;
A língua marinha molhada de amor
Em tuas altas ondas apaixonadas.

E retiras dos meus lábios o areal
Pois o destino não me quer cristal
Em tuas ágeis mãos de desbravador.

E acolhes meu corpo no teu litoral
Sob a clara lua a deslizar imortal,
E eu perolada, viva em teu amor!

Vilma Piva
Direitos Autorais Reservados ®

quinta-feira, 2 de agosto de 2012

Território Do Teu Beijo



Território Do Teu Beijo
Rondel XXV -

Como se fosse mar que a praia invade
Teu beijo toma posse dos meus desejos.
Apodera-se do gosto da sensualidade
E trama nossas salivas em cortejos.

Sugas da minha língua a umidade
Das lambidas no teu corpo de vicejos,
Como se fosse mar que a praia invade,
Teu beijo toma posse dos meus desejos.

Faz-se teu o território da sagacidade
Quase inteiro em meus arquejos,
Boca à boca, com toda virtuosidade
Manejas sedento a nossa vontade.
Teu beijo toma posse dos meus desejos!


Vilma Piva
Direitos Autorais Reservados ®