Marcadores

Seguidores

quarta-feira, 9 de novembro de 2011

Tango - Poesia



TANGO - Poesia

Decotas-me o vestido vermelho
Preso as curvas dos meus ombros
E bailas comigo teu corpo sedutor
Num rocio perfumado e elegante
A espreitar a fêmea arquejante
Enlaçada ao bandoneon de teus braços.

Desenvoltos ao tango que a cada passo
Prendes-me ao teu amante peito viril
Compassando-me ao alto dos meus saltos
A oferecer-te dançante a minha boca
Entreaberta, desejosamente delineada,
Próxima do teu rosto e dos meus arrepios.

Comandas sensualidades a passos largos
A dançar em nossos corpos sincronizados
Encaixados por mantos que levantam
Minha perna desnuda em fenda insinuante
No deslizar das coxas ao toque da tua mão
Seduzida por teu olhar fixo nos meus.

E soltas-me num repente em ropodios
Ritimando giros que me retém ao gozo
Nas tuas voltas e idas impulsionando-nos
Redobrados calafrios, entregues ao decote
Das volúpias em teus quereres indomáveis
Curvando-te arfante ao roubo de um beijo meu.

Vilma Piva
Direitos Autorais Reservados ®






2 comentários:

  1. diz...diz prá mim,
    onde se escondeu...
    em que lua vai voltar...
    em que sonho, volte logo anjo meu.

    (Markinhos Moura)

    Amor & Poesia na sua noite...M@ria

    ResponderExcluir
  2. Minha querida amiga !
    Vim aqui é tudo de gratificante pelas escritas que te faz uma poetisa com sabor das mais belas escritas.
    Nossa como o seu poetar me convida a passar sempre por aqui...
    bjssssssssssssss

    ResponderExcluir

Obrigada pelo carinho da sua leitura!
Deixe seu comentário, ele é muito importante!