Marcadores

Seguidores

sábado, 27 de agosto de 2011

Hora Canônica


HORA CANÔNICA

Por entre ramos, devagarinho,
A tarde cai vermelha ao léu
Despedindo-se das asas do céu
Retornando pássaros aos ninhos.

Gorjeios silenciam no poente.
É hora canônica. Fim do dia.
E a noite cicia nova melodia
No noturno da lua crescente.

Estrelas iluminam olhos amantes
Brilhando no céu luz enluarada
Esgueirando-se na madrugada.

E ao bocejar dos lastros silentes
Nova luz desperta a passarada.
Canta o sol, manhã ensolarada!

Vilma Piva
Direitos Autorais Reservados ®

3 comentários:

  1. Vilma querida Poeta o teu acervo é de uma riqueza sublime, que nos eleva nos mais altos patamares do Parnaso.Mais uma magistral criação do teu acervo.Bjs de violetas e meu carinho

    ResponderExcluir
  2. Hora especial, que bom que acontece a cada dia!

    Poeta, gostaria q participasse da homenagem q farei à Independência do BR lá no meu blog.
    É o seguinte, publicarei um haikai e gostaria q vc escrevesse um com o mesmo tema.
    Vc gostaria de participar?
    O tema é a ARARAJUBA (Guaruba guarouba) e vc pode usar como fonte de pesq o site do wikiaves.com.br/ararajuba

    Só aceitarei HAIKAIS prq é a proposta do meu blog.
    Meu haikai p/ a ARARAJUBA é o seguinte:

    ARARAJUBA,
    QUASE EXTINTA PELO
    DESMATAMENTO.

    Mande teu haikai (ezambenedetti@yahoo.com.br) antes da data e eu colocarei teus créditos, lógico.
    Beijos e bom fim de semana!

    ResponderExcluir
  3. Elisa querida, obrigada pelo convite, estarei participando com muito prazer da página de Haikais. Obrigada pelo carinho e agora já me recuperando de um probleminha de saúde...Gracias, beijos, Vilma

    ResponderExcluir

Obrigada pelo carinho da sua leitura!
Deixe seu comentário, ele é muito importante!