Marcadores

Seguidores

domingo, 3 de julho de 2011

Amor Latente


AMOR LATENTE

Duas vidas num só destino vivente
É presente dos céus nos caminhos,
Ungidos por favos de carinhos
São sentidos do amor latente.

O tempo não tolhe, nem desbota
O roçar das mãos, o olhar e o beijo,
Nem a ternura de um desejo
Pois o amor amado sempre brota:

De um gesto brando em canduras,
Num bilhete, num mimo no portão,
Numa rosa de pétalas puras.

No murmurar do amor em doçuras,
Na leveza dos corpos na paixão
E no fértil beijo das semeaduras.

Vilma Piva
Direitos Autorais Reservados ®

Um comentário:

  1. Olá Vilma, que prazer estar aqui! Um blog maravilhoso, sim feliz estou em conhecer as linhas de tão profunda e talentosa poetisa! Parabéns... Obrigado pelo carinho de tuas visitas no meu perfil Recanto! Beijão do ratinho - Gigio Jr.

    ResponderExcluir

Obrigada pelo carinho da sua leitura!
Deixe seu comentário, ele é muito importante!