Marcadores

Seguidores

domingo, 13 de fevereiro de 2011

Opaca Noite



OPACA NOITE

A nostalgia fere o suspiro azul
Desprendendo do céu fragmentos
De uma lua pálida em lamentos
Desbotando-se em dores ao sul.

A vagar desalentos entardecidos
No peito que se fizera amor cativo
De febres ao sol,ainda que fugitivo,
Transcendiam abraços estendidos.

No sopro amante daquele instante
Onde enfim minha dor soubera
Do triste aceno que tão semelhante

À opaca noite que ontem se fizera,
Ardil de amor, na lágrima murmurante
Descolorindo minha face à tua espera.

Vilma Piva
Direitos Autorais Reservados ®

2 comentários:

  1. Vilma

    Querida Poeta bela criação, traz uma maestria rica e intensa.
    Os meus aplausos de aprendiz nesta tua obra maravilhosa.
    O teu acervo é admirável!
    Um beijo de violetas e meu carinho.

    ResponderExcluir
  2. kananda-46@hotmail.com30 de agosto de 2012 20:55

    querida poeta.........visitei sua pagina, sou amante da poesia.......tudo muito lindo adorei. bjos

    ResponderExcluir

Obrigada pelo carinho da sua leitura!
Deixe seu comentário, ele é muito importante!