Marcadores

Seguidores

quinta-feira, 9 de setembro de 2010

Naufraga


NAUFRAGA

No porto dos teus braços quero ancorar
O amor do meu amor de uma existência
Onde a poesia me levou a permanência
Das procuras no meu corpo a te mapear.

Quero encerrar viagens entre sargaços!
Estar em calmarias e sob tempestades
Nas águas da tua boca dizer saudades
Do sal e firmeza nas toas dos abraços.

Deslizar-me ondina no teu mar de amar
Viver milhas de voragens nos teus beijos
Da tua pele na minha, leme a velejar,

Centímetro por centímetro, içar
Velas ao vento nas quilhas dos sobejos
Atracar-me à poesia e em ti naufragar.

 
Vilma Piva
Direitos Autorais Reservados®

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pelo carinho da sua leitura!
Deixe seu comentário, ele é muito importante!