Marcadores

Seguidores

quinta-feira, 28 de janeiro de 2016

Desígnios



DESÍGNIOS

Do imenso vale ao redor de nós
Brotou uma gota de perfume
Daquelas tardes de amor e ciúme
Que temperavam sabores em nós.

Eram tardes de amor e sonho
Compondo beijos e sentidos
Que descaminhos hoje vividos
Eram desígnios quais suponho.

Ter sido o sentido da claridade
A nos converter em mais amor,
Em mais essência para onde for
Esse aroma exalando saudade.

Tal qual esse sol viajor, andante,
Rebento de luz depois da chuva
A mostrar que o tempo foi a luva
Revestida lado à lado caminhante.

Ternamente em nós, pausa e ebulição
Sobrevoando instantes impregnados
De olores sussurrantes, almiscarados
De nossas bocas num beijo de paixão.


Vilma Piva
Direitos Autorais Reservados®


3 comentários:

  1. Palavras ternas
    num abraço de limos

    ResponderExcluir
  2. Maravilhoso poema deste teu acervo magistral querida Poeta!Bjs de violetas

    ResponderExcluir
  3. Estou a tentar visitar todos os seguidores do Peregrino E Servo, pois por uma acção do google meu perfil sumiu e estava a seguir o seu blog sem foto e agora tive de voltar a seguir, com outra foto. Aproveito para deixar um fraterno abraço.
    António Jesus Batalha.

    ResponderExcluir

Obrigada pelo carinho da sua leitura!
Deixe seu comentário, ele é muito importante!